DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Um óculos bem português

Quando verifico que uma dúvida se torna algo comum, começo a pesquisar com mais detalhamento as formas de uso. Hoje, é a vez da palavra óculos. As dúvidas são sobre a colocação da palavra no singular ou no plural. A regra manda óculos no plural, ou seja, “os óculos”. Mas o uso aparece, no Brasil, com a forma singular “o óculos”.

Para começar, vamos às definições no dicionário.

1. Michaelis: “óculos (substantivo masculino PLURAL). Conjunto de duas lentes para compensar defeitos visuais, montado em armação própria com duas hastes que se prendem às orelhas.

2. No Aurélio, há uma definição bem similar à do Michaelis. Porém, ainda aparece a seguinte orientação: “No Brasil, pelo menos, diz-se, erroneamente, o óculos, este óculos, meu óculos” (verbete óculos).

3. E no Houaiss, a realidade não é muito diferente. Veja: “A palavra óculos é “pluralia tantum”, sendo, pois, erro a discordância de número (um óculos) que se tem vulgarizado no português coloquial do Brasil (formas corretas: uns óculos, meus óculos, um par de óculos)”.

Portanto, nos dicionários, não há qualquer orientação para colocar óculos no singular.

A expressão latina “pluralia tantum”, segundo as gramáticas históricas, está relacionada aos substantivos de uma língua em que forma é um plural morfológico, mas que semanticamente podem denotar uma única unidade; trata-se sempre de referentes formados de partes simetricamente duplicadas (p.ex.: tesouras, cuecas, calças, óculos).

Então, se óculos é um “pluralia tantum” e diz respeito a uma única unidade, por que não o colocamos no singular? Para nós, é um único objeto! Por que devemos nos prender às tradições, se elas não fazem mais parte do uso efetivo? Se as línguas não mudassem, ainda estaríamos falando Latim, Galego ou Indo-Europeu, talvez.

Esse é um ponto que afasta, e muito, os falantes brasileiros da Língua Portuguesa. Determinadas regras não fazem sentido.

E tudo começa na escola. O aluno escreve “o óculos”, porque ele entende se tratar de apenas um objeto. Aí, o professor coloca errado e fica tudo por isso mesmo. O aluno começa a odiar o Português e acaba com medo de escrever. E assim vai. É só fazer uma breve pesquisa sobre os resultados das redações em provas oficiais e de concursos públicos. É desastroso. A escrita em Português está cada vez mais distante da realidade dos usuários.

Voltando ao caso do vocábulo óculos, alguns tradicionais vão dizer que se trata de um par com DUAS LENTES. Por isso, é o correto usar no plural. Aí, um aluno pergunta: então, já que são duas lentes, por que não chamamos o óculos de binóculo?

E ainda tem gente que vai confundir tudo pelo fato de óculos “terminar” com a letra “S”. Então, não se esqueçam dos vocábulos ônibus e lápis. Ambos terminam com “S” e são usados no singular: “o ônibus” e “o lápis”.

No Português do Brasil, usamos o singular para determinar um único objeto, por mais que ele seja composto por um par de “alguma coisa”. E isso não tem problema algum. É apenas uma mudança acontecendo, assim como diversas alterações já foram incorporadas ao nosso vocabulário.

Se você fizer uma prova oficial, ainda é preciso colocar óculos no plural. Essa é a regra vigente. A palavra óculos, pela norma, está no plural, e precisamos escrever “os óculos” em um uso formal.

Porém, estamos, nesse espaço, procurando dialogar sobre uma nova realidade. Um cenário de um Português mais vivo, mais criativo, mais interessante, mais cultural, mais…. BRASILEIRO!!!

Baixe nosso app:

Comments

comments

Tags:

Rodrigo Maia
Rodrigo Maia
Graduado em Jornalismo, Radialismo e Letras, Rodrigo Maia é especialista em Língua Latina e mestre e doutor em Língua Portuguesa pela PUC-SP. Atua há 16 anos em redações de jornalismo, em grandes emissoras de TV. Atualmente é colunista da Rede Record e biógrafo na Companhia Editora Nacional (IBEP). Há 12 anos, ministra aulas de Língua Portuguesa na PUC-SP, na Faculdade Belas Artes e no Centro Universitário Ítalo-Brasileiro. Como pesquisador, atua no Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa, na USP. Nos Estados Unidos, é membro da American Organization of Teachers of Portuguese. Participe! Mande suas dúvidas para o e-mail rodrigo@gazetanews.com. Quero fazer os textos dessa coluna de acordo com o que os leitores precisam e querem saber. Espero sua mensagem!
236