DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Seguro de automóveis opcional?

Quando a controvertida lei estadual que trata de seguros de automóveis expirar em outubro, os motoristas da Flórida poderão não ter mais a obrigatoriedade de contratar um seguro para seus carros.

Depois de 1° de outubro o seguro (auto insurance) não será mais obrigatório. Essa é uma conseqüência não planejada da falta de ação dos legisladores, durante as sessões regulares da atual legislatura que termina na semana que vem.

A controvertida lei estadual batizada de “no-fault”, que requer que os motoristas tenham uma proteção de seguro pessoal de pelo menos $10 mil, ou PIP, e de $25 mil em responsabilidade por danos à propriedade, está prevista para expirar porque os legisladores falharam em estendê-la ou em substituí-la por outra exigência de seguro.

O Senado aprovou o projeto que estenderia a lei “no-fault” por quatro anos, mas ele nunca foi discutido na Câmara. A Câmara também nunca considerou qualquer projeto para susbstituir o PIP por uma forma obrigatória de cobertura de seguro médico. O projeto surgiu menos de duas semanas antes de encerrada a legislatura.
Enquanto permanecem os rumores em Tallahassee de que os legisladores poderiam discutir a questão do seguro de automóveis durante sessão especial em junho, o governador convocou a discussão sobre a reforma de impostos, e até agora não surgiu nenhum movimento no sentido de incluir a lei “no-fault” na agenda.

Advogados e médicos que trabalham com vítimas de acidentes disseram-se chocados com a possibilidade de que os le-gisladores poderiam deixar “morrer” a lei “no-fault”, por falta de ação especialmente porque, com isso, deixaria de existir a exi-gência de cobertura de seguro para autos.

Conseqüências:
O advogado Cris E. Boyar, de Margate, alerta que se houver um acidente hoje, a lei proporciona o pagamento de $10 mil em custos médicos e perdas. “Hoje você não precisa de um advogado para receber este dinheiro. Mas sem o PIP, a maioria das vítimas de acidentes precisará de advogados para conseguir receber este dinheiro, e isso poderá custas a elas de 30% a 40% em taxas de contingência”, disse.

Atualmente o PIP paga 80% dos gastos médicos até $10 mil por motorista e cada passageiro no carro envolvido no acidente. O seguro de danos à propriedade cobre prejuízos causados ao patrimônio de terceiros, como casa, carro, ou qualquer outro bem, em decorrência do acidente. A cober-tura também oferece cobertura para perda de renda e morte em função de acidente.

Piores motoristas
Pelo segundo ano consecutivo, os motoristas de Miami conquistaram para a cidade o lamentável título dos motoristas mais raivosos do País.

O levantamento foi realizado pelo AutoVantage, clube de automóveis com sede em Connecticut, que oferece serviços de auxílio a motoristas, a exemplo de reboques e serviços mecânicos.

As outras cidades que estão entre os nada honrosos primeiros lugares são New York, Boston, Los Angeles e Washington, D.C. Os motoristas mais educados estão em Portland, Oregon; Pittsburgh; na área de Seattle-Tacoma; San Luis; e Dallas-Fort Worth, de acordo com a pesquisa.

A causa mais freqüente de furor no trânsito, de acordo com a pesquisa, é a falta de paciência. A pesquisa foi baseada em entrevistas telefônicas com 2,5 mil motoristas que dirigem regularmente em 25 grandes zonas metropolitanas, e realizada entre janeiro e março. A margem de erro é de menos de dois pontos percentuais.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153