DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Roommate: solução ou problema?

Se para os brasileiros dividir um apartamento ou uma casa com estranhos não é um hábito tão comum – como é para os europeus, por exemplo – para aqueles que decidiram tentar a vida aqui na terra do Tio Sam, esta experiência não é tão rara assim. E só quem já passou por ela é que sabe o que significa essa aventura.

Na hora do sufoco das finanças o chamado roommate parece ter caído do céu. Mas depois de um tempo, quem era príncipe vira sapo, e a sua vida, ou a dos dois (ou duas), pode também virar um inferno.

Amigas desde a infância, Ana e Márcia sempre se deram bem no Brasil.

Depois de algum tempo vivendo na Flórida, Ana estimulou Márcia a também vir viver nos EUA. As duas passaram a dividir um apartamento em Pompano Beach e tudo correu bem durante cerca de oito meses, até que Márcia conseguiu um emprego. Foi aí que até os rolos de papel higiênico e garrafas d’água passaram a ser divididos cuidadosamente. Bilhetes com tarefas passaram a habitar as paredes da geladeira e dos armários.

Quando reclamações do tipo “Não deixe marcas de dedos na máquina de lavar”, que lembram a infância de qualquer um, passaram também a reinar como norma da casa, Márcia decidiu que não era mais possível viver com a amiga de infância e, como nos casamentos, “a divisão de bens” também tornou-se uma lembrança triste. Márcia conta que recebeu uma relação de ítens para indenizar a amiga, entre eles meio saco de pipocas comprado no dia tal no cinema, meio cachorro-quente, dois selos de correspondência e $1 de gorjeta para o carregador no aeroporto. “Hoje continuamos amigas, mas morar juntas, nunca mais”, diz Márcia.

A primeira experiência de Marcos e Patrícia nos EUA como roommate durou apenas dois dias na casa de uma prima na Califórnia. Assustado com as constantes brigas da prima com o marido, o casal decidiu buscar outro lugar para ficar, apenas 48 horas após chegar aos EUA.

– Fomos morar com duas jovens que conhecemos por intermédio da mesma prima. Para começar ela nos cobrou o aluguel duas vezes. Tudo o que comprávamos de alimentação elas pegavam sem a menor cerimônia, e ainda levavam gente de todo tipo para dentro de casa, que chegava bêbada de madrugada.

Eu dormia com o dinheiro que tínhamos na cintura, e mesmo assim ainda nos roubaram um relógio de marca e $160, que estavam na bolsa da minha esposa – conta Marcos.

Para quem pensa em aceitar um roommate em casa, ou viver como roommate na casa de alguém, ele sugere ter paciência e investigar informações sobre com quem se pretende morar. “Acho que pessoa tem que perguntar antes, conhecer outras pessoas que conheçam os hábitos daquela pessoa, qual é o ritmo de vida daquela pessoa. Se a casa tem tudo sujo, desorganizado, ou você percebe alguma coisa fora do normal, não se apresse, procure outro lugar”, orienta Marcos.

Mas nem tudo é problema na vida de quem divide apartamento. Edvan mora com outros três amigos e há dois anos consegue manter-se imune aos problemas comuns aos roommates. “É uma convivência bem pacífica.

Temos regras como não poder receber convidados nem fazer barulho porque todos trabalham e precisam descansar”, explica.

Mas ele acredita que o ponto fundamental é ter confiança. “O amigo que trabalha comigo já conhecia do Brasil, ele e a família. Quando procuramos outras pessoas para dividir o apartamento buscamos gente que tivesse uma boa conduta. Quando precisamos resolver um problema conversamos, e não há brigas”, conta Edvan.

Seja quais forem as suas razões para encontrar um roommate, você certamente irá experimentar situações inesperadas, como acordar e encontrar meias sujas pela casa, ou uma geladeira completamente vazia. E para compensar, uma pia cheia de louça. Mas acalme-se, não necessariamente tem que ser assim. Confira a seguir um guia para que você encontre um perfeito, ou perfeita roommate, que se encaixe ao seu estilo de vida.

A melhor maneira de ter certeza é escolher cuidadosamente com quem você vai viver.

Vantagens:

• Você provavelmente vai economizar dinheiro, já que o aluguel de imóvel de dois quartos dividido por dois, normalmente é bem mais barato do que um imóvel de um único quarto pago por um.

• Um(a) roomate pode dar a você uma nova perspectiva de vida social, novas amizades e até contatos profissionais.

• Você e seu/sua roomate podem dividir a limpeza, cozinha, tarefas de casa, cds, filmes, segredos e várias outras coisas. Que lindo!

Muitas pessoas sentem-se mais seguras vivendo com alguém por perto. Afinal de contas, é mais difícil para um ladrão enfrentar dois (ou mais) ao invés de um só.

• Mais espaço. Imóveis com dois quartos tendem a ter também maiores salas e cozinhas.

Desvantagens:

• Obviamente, a maior desvantagem de ter um(a) roomate é que os seus dias de completa privacidade estão acabados. Nada mais de comer pelado(a), assitir TV pelado(a) ou tomar banho pelado(a)!

• Se você decidir morar com um de seus amigos(a), corre o risco de ter problemas em casa e ainda perder o amigo, porque ser amigo de alguém e viver com alguém são coisas totalmente diferentes.

• Você corre um risco de desestabilizar o seu orçamento se o seu/sua roomate se aborrecer, for embora e não pagar a parte dele/dela no aluguel.

• A menos que você tenha razões sérias, pode ser muito difícil livrar-se de um roomate, especialmente se ele/ela paga direitinho o aluguel.

* Os sobrenomes foram omitidos a pedido dos entrevistados.

Na hora de escolher o/a roomate faça as perguntas certas:

• Você já dividiu apartamento, ou alugou quarto antes? O que o incomodou nas suas experiências anteriores?

• Você tem namorado/a ou amigo(a) que deve(m) dormir aqui com freqüência?

• Em que você trabalha? Quais são suas horas de trabalho?
A que horas você costuma ir dormir e acordar durante a semana e nos finais de semana?

• Você tem problemas de crédito? Você pretende fazer parte do contrato de aluguel e dividir as despesas de contrato? (Caso a pessoa não aceite, fique de olhos abertos. Ela pode ter problemas de crédito, ou estar planejando dar o calote).

• Deixe claro se as despesas serão divididas igualmente ou se alguém terá um quarto maior, por exemplo, e portanto pagará mais.

• Você se considera bagunceiro ou organizado? Você pretende dividir as tarefas de casa?
• Tem sono leve ou pesado?
• Fuma? Bebe? Usa drogas?
• Tem animais de estimação?
• Tem problemas de saúde
• Gosta de escutar música baixa ou alta?
• Toca algum instrumento?
• É do tipo que gosta de dividir roupas, cds, computador, etc?
• Costuma convidar amigos em casa com freqüência?

Para começar, aqui estão três perguntas básicas para ajudar você a se decidir:

1 – Eu quero um/a roomate do mesmo sexo ou do sexo oposto? Não vamos entrar em detalhes sobre as diferenças entre homens e mulheres mas acredite, viver com alguém do mesmo sexo geralmente economiza um monte de aborrecimentos.

2 – Eu quero dividir a cama ou apenas as áreas comuns do apartamento? Seja qual for a sua decisão, não se esqueça: faça o que estiver ao seu alcance para assegurar o seu próprio quarto.

3 – Estou procurando por um novo amigo ou apenas dividir o aluguel? Seja qual for a resposta, esteja certo de que o seu roommate busca a mesma coisa.

Para quem já encontrou o roommate ideal

• Assine em conjunto com seu/sua roommate o contrato de aluguel. O motivo simples é: se a sua é a única assinatura no contrato, você é o único res-ponsável por todos os custos do imóvel. Portanto, seu o seu/sua roommate não pagar o aluguel, o responsável é você. Faça também um contrato para dividir custos como limpeza, contas de telefone, tv à cabo e depósito de garantia.

• Linha de telefone. Se vocês dois (ou duas) usam muito o telefone e a internet, provavelmente terão que ter linhas separadas. Mas se decidirem ter uma única linha, veja com a companhia telefônica se é possível estabelecer uma senha de acesso para cada um para as ligações internacionais e de longa distância.

• Que tipo de objetos cada um levará? Você pode economizar dinheiro e espaço dividindo coisas como microondas, torradeira, ferro, tábua de passar, louças, etc.

• Dividindo. Nem todo mundo gosta que comam sua comida, ou usem seus pertences. Você pode fazer um acordo do tipo cada um compra a sua própria comida, ou estabelecer que cada um abastece a casa a cada semana, alternadamente. Se você não quer que seu/sua roomate mexa nas suas coisas, deixe isso bem claro desde o início, e não mexa nas dele(a).

• Horário de silêncio e tarefas de casa. Decidam quais são os horários a serem respeitados para manter silêncio, dormir ou trabalhar, e também horários nos quais convidados são e não são aceitos. Para as tarefas de casa, elabore uma lista e divida as tarefas. É civilizado habituar-se a lavar a louça logo após usar, jogar papéis na lixeira e manter seus objetos pessoais em seu próprio quarto.

Atitudes que evitam problemas:

• Entenda que algumas vezes as pessoas ficam de mau humor. Não insista.
• Bata antes de entrar.
• Não tome conta da linha de telefone.
• Anote os recados.
• Lave sua louça
• Mantenha sua bagunça dentro do seu quarto
• Não mexa em nada que não seja seu sem pedir permissão.
• Trate os outros da maneira que quer ser tratato (a).
• Respeite os acordos e normas da casa.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
223