DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Pedro Henrique é o nome do dia em Hossegor

O surfista carioca Pedro Henrique foi o destaque nesta quarta-feira no Rip Curl Pro, etapa de nível Super Series do WQS. Pedrinho consegui a melhor onda e a maior pontuação do campeonato nas boas ondas de cerca de 1,5m de altura de Hossegor, na França.

O local de Saquarema abriu sua bateria forte, com uma nota 8,50. Pouco depois, tirou 9,60 para quebrar o recorde de melhor nota e, com a soma de 18,10 pontos, ainda estabeleceu a maior pontuação até o momento para vencer sua bateria, seguido pelo australiano Shaun Cansdell, segundo do ranking do WQS.

Foram disputadas 20 das 24 baterias da segunda fase, com os cabeças-de-chave entrando na disputa da etapa mais valiosa do calendário da divisão de acesso do surfe mundial. Dezenove brasileiros competiram, com 11 avançando e oito dando adeus ao evento. Outros oito brazucas estão escalados nas quatro últimas baterias da fase.

O Brasil começou o dia com o paranaense Peterson Rosa passando em segundo atrás do francês Mikael Picon na primeira bateria. Na seqüência, o catarinense Marco Polo dominou a disputa e, com 15,67 pontos, venceu o segundo confronto, seguido pelo sul-africano Royden Bryson. O paranaense Jihad Khodr ficou em último e foi eliminado. O Brasil ainda amargou outra eliminação na bateria seguinte, com o alagoano Tânio Barreto também em último.

Na sexta bateria, o cearense Dunga Neto ficou em terceiro, atrás do taitiano Alan Riou e do inglês Russell Winter. O campeão brasileiro Renato Galvão, de São Paulo, venceu a sétima bateria com 14,17 pontos, mas o australiano Adam Robertson arrancou uma nota 9,50 no minuto final e eliminou o potiguar Danilo Costa.

Líder do ranking avança em segundo

A única dobradinha brasileira do dia funcionou na nona bateria, com o carioca Guilherme Herdy e o catarinense James Santos eliminando o australiano Glenn Hall e o havaiano TJ Barron. O carioca Marcelo Trekinho somou 14,14 pontos para vencer a 11ª bateria, seguido pelo australiano Kirk Flintoff.

– No começo não consegui encontrar as ondas e fiquei quase dez minutos sem surfar. As ondas estavam fechando um pouco, tive que me colocar bem para pegar algumas abrindo – disse Trekinho.

Líder do ranking e garantido no WCT de 2006, o paulista Adriano de Souza ficou em segundo no 12º confronto, atrás do americano Shaun Ward, com os dois eliminando os australianos Ben Dunn e Luke Hitchings. Na seqüência, o carioca Raoni Monteiro passou em primeiro, seguido pelo australiano Jay Thompson. O paulista Renan Rocha ficou em último.

Dois locais de Saquarema tiveram sortes distintas logo a seguir. Leo Neves foi o último na 16ª bateria, enquanto o confronto seguinte foi marcado pelo show de Pedro Henrique, campeão mundial júnior em 2000. O alagona Marcondes Rocha garantiu sua classificação nos segundos finais na 18ª bateria, mas o baiano Armando Daltro não teve a mesma sorte e deu adeus à etapa.

Encerrando a participação brasileira na quarta-feira, o paulista Odirlei Coutinho passou em segundo atrás do australiano Luke Munro, enquanto o carioca Bruno Santos ficou em terceiro, eliminado pelo japonês Teppei Tajima e o australiano Samba Mann.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152