DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Multivitamínicos podem provocar até câncer

Tomar vitaminas em quantidades excessivas pode aumentar em homens o risco de morte por câncer de próstata. O estudo, publicado na quinta-feira(17), é o maior até agora já realizado sobre o tema, sugerindo que altas doses de multivitamínicos podem prejudicar a próstata. É também, o mais recente capítulo da confusa polêmica que tenta dizer se a ingestão de múltiplas vitaminas realmente ajuda o organismo, é perda de dinheiro, ou pode ocasionar conseqüências ainda piores.

Cientistas do governo norte-americano, responsáveis pelo estudo, acompanharam a dieta, e as condições de saúde de quase 300 mil homens, até chegar a uma conclusão.

Cerca de um terço dos pesquisados informaram tomar um multivitamínico por dia, e 5% foram considerados usuários “pesados”, ingerindo pílulas mais de sete vezes por semana.
Durante cinco anos, 10.241 homens foram diagnosticados com câncer de próstata, sendo 1.476 com câncer em estado avançado. Destes, 179 morreram.

Homens que eram considerados consumidores “pesados” de multivitamínicos apresentaram o dobro de chances de apresentar câncer fatal de próstata do que aqueles que nunca ingeriram tais vitaminas, conclui o estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute.

Por outro lado, os pesquisadores não encontraram nenhuma ligação entre o uso de multivitamínicos e o aparecimento precoce de câncer de próstata.

Os pesquisadores especulam que, possivelmente, altas doses de vitaminas tenham pequeno efeito, até que um tumor apareça, e que então, os efeitos da vitamina poderia favorecer seu crescimento.
O National Cancer Institute entende que estudos mais rigorosos ainda são necessários para comprovar tal hipótese. Este mais novo estudo, envolve homens que volutariamente tomaram vitaminas, e outros que, por terem histórias de câncer na família, foram considerados em grupo de risco.

– As conclusões do estudo levam a credenciais extras de que há possibilidade de danos associados com o uso elevado de suplementos – afirmou Dr. Christian Gluud, do Copenhagen University Hospital.
O uso excessivo de multivitaminas pode também levar a riscos elevados de asma em crianças de etnia negra, afirma estudo publicado pelo jornal Pediatrics, da American Academy of Pediatrics. O risco ocorre quando há excessos nos primeiros seis meses de vida, afirma a pesquisa.

O mesmo estudo observa que a ingestão de vitaminas na infância pode levar ao aumento do risco de alergias a determinados alimentos. Em 2004 outro estudo concluiu que vitaminas antioxidantes podem, algumas vezes, ser prejudiciais ao coração. Há ainda pesquisas sugerindo que a Vitamina C pode estar relacionada ao aparecimento de artrites. No ano passado, pesquisadores chegaram à conclusão que vitaminas antioxidantes não reduzem sintomas de pressão alta na gravidez e que, na verdade, podem aumentar este risco.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
156