DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Liberação miofascial: O que é isso?

Você já deve ter visto algumas pessoas “rolando” as pernas, o tronco e demais partes do corpo sobre rolos de espuma, muitas vezes não muito macios. E acredito que deve ter se perguntado o que seria isso.

Bem, o nome dessa prática é liberação miofascial. O prefixo mio significa músculo e fascia é uma estrutura diferente dos músculos, mas que mantém uma ligação íntima com eles. Essas fáscias têm funções diversas e são importantes para a movimentação do nosso corpo junto com os músculos. Se essas estruturas ficarem presas aos músculos, poderá ocorrer a diminuição da flexibilidade muscular e dor. Na fisioterapia, a técnica de liberação miofascial não é nova e vem sendo aplicada com sucesso para o conforto das pessoas acometidas por essa restrição dolorosa há muito tempo. Porém, logo no início deste texto eu salientei que, atualmente, podemos ver muitas pessoas aplicando essa técnica em si mesmas após os exercícios. Então, duas perguntas parecem ser apropriadas. Seriam todas essas pessoas fisioterapeutas? Teriam todas essas pessoas a síndrome da dor miofascial?

Pelo número de pessoas que, de repente, iniciaram essa prática, me parece que a resposta é não para as duas perguntas. Se a minha suposição for verdadeira, essas pessoas podem estar se machucando. A causa da síndrome da dor miofascial está relacionada à acidentes, lesões musculares, estresse, uso repetitivo e cicatrizes cirúrgicas. A menos que isso tenha ocorrido com todas essas pessoas que podemos observar, elas estariam fazendo sem precisar e se fizerem errado podem acabar causando essa síndrome.

O que todas essas causas têm em comum e que levam à síndrome da dor miofascial é o rompimento de vasos sanguíneos e de células. Quando isso acontece no nosso corpo, no local, pode ocorrer aderência entre os tecidos, ou seja, uma parte pode grudar na outra no momento da cicatrização. Quando isso acontece nas estruturas musculares, a fáscia que está intimamente ligada ao músculo adere no mesmo, levando a dores, diminuição dos movimentos e, claro, à síndrome miofascial.

Quando uma pessoa usa a pressão causada pelo peso do próprio corpo sobre uma área que está apoiada sobre um rolo, essa pressão pode ser grande a ponto de causar lesões no local, ou seja, ruptura de vasos sanguíneos e de células. Pode-se ver isso com a presença de hematomas (aquelas manchas roxas na pele). Esses hematomas mostram que houve ruptura de vaso sanguíneos e de células, que é a condição para a aderência.

Sem um diagnóstico, se não houver necessidade e, acima de tudo, se a técnica não for conhecida pela pessoa que a pratica, essa liberação miofacial pode estar na verdade causando a aderência. Como sempre, a consideração final que tenho a fazer é para que todos procurem um bom profissional antes de aderirem aos modismos lançados pelas mídias sociais e pela internet.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]

Tags: ,

Ivani Manzo
Ivani Manzo
Dra. Ivani Manzo é doutora em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP – EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Em 2010 iniciou seus estudos em Life Coach e desde então trabalha ajudando as pessoas a alcançarem seus objetivos.
240