DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Japoneses começam a levar dinheiro no celular

O Japão começa a dar adeus à carteira de bolso e se prepara para a era da carteira virtual.
Compras de supermercado, aluguel de vídeo, reserva de lugares no teatro e o pagamento da bebida no fim do dia podem ser feitos com o celular.

Isso significa que as pessoas poderiam jogar no lixo todos os cartões de plástico, que ficarão armazenados no chip do celular.

Edy é o nome do serviço que está liderando a investida nesse mundo do “dinheiro celular” no Japão.

As pessoas já podem carregar o celular que tem os serviços do Edy com créditos de até 50 mil ienes (US$ 250, cerca de R$ 570).

Máquina de leitura

“Estamos promovendo Edy em lugares onde seu uso é mais conveniente do que o de dinheiro vivo”, diz Usoke Oue, da empresa bitWallet, que faz o Edy.

“Precisamos comunicar as vantagens aos consumidores, não apenas a conveniência, como também o fato de que você pode ganhar pontos.”

É possível carregar crédito no celular de diversas maneiras, incluindo a internet, que transfere recursos da conta bancária ou do cartão de crédito para o chip do aparelho.

Para pagar as compras, basta pôr o celular na máquina de leitura, que descobre quanto existe de crédito disponível e deduz o valor gasto na operação.

O Edy ainda não tem grande penetração, mas já é aceito por 25 mil varejistas no Japão.

Impulso

Segundo Gerhard Fasol, da consultoria Euro Technology Japan, o processo de integrar transações bancárias ao celular ainda depende de muitos fatores.

“São necessários grandes investimentos e também é preciso que as pessoas mudem seus hábitos. Isso tudo só acontecerá se houver benefícios para todos”, disse ele.

“Se apenas as operadoras de celular lucrarem, ou se só os bancos lucrarem, ou se os bancos tiverem prejuízo e os consumidores ganharem, não vai pegar. O que aconteceu no Japão é que grandes nomes do setor encontraram uma fórmula em que todo mundo tem vantagens.”

Um grande impulso para a “carteira virtual” deve acontecer em janeiro, quando a principal concorrente do Edy, a empresa Suica, entra nesse segmento do mercado.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152