DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Fundadores da Renascer deixam a prisão nos EUA

Sônia Haddad Moraes Hernandes, fundadora da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, e o marido dela, Estevam Hernandes Filho, deixaram a prisão no Estados Unidos.

Apesar de ter deixado a prisão, o casal de fundadores da Renascer continuará sendo vigiado pela polícia de Miami. Os dois seguiram para a mansão de Boca Ratón, no número 12.582 da Tobey Drive, localizado no condomínio fechado Boca Falls.

Sônia e Estevam Hernandes estão impedidos de deixar a Flórida até o julgamento do processo que corre contra eles nos Estados Unidos. A primeira audiência deles com a Justiça dos EUA foi marcada para quarta-feira (24). Eles são acusados nos Estados Unidos de declaração falsa à alfândega e “cash smuggling” (contrabando de dinheiro, em tradução literal). (Saiba quais são as acusações contra os fundadores da Igreja Renascer)

O promotor do Gaeco (Grupo de Atuação de Repressão ao Crime Organizado), do Ministério Público de São Paulo, Arthur Lemos, confirmou a liberação do casal, mas afirmou que a movimentação de Sônia e Estevam será bastante restrita.

“Eles estão em liberdade condicional. Isso implica que eles terão restrições para freqüentar vários lugares, como bares, shopping centers, etc. Eles também têm que retornar para a residência às 17h e estão sendo monitorados pelos federal marshalls [agentes federais]”, afirma Lemos.

Segundo o promotor, Estevam e Sônia foram libertados por uma decisão judicial pouco usual em se tratando de imigrantes e sobre o qual ele afirmou não ter maiores detalhes. “O juiz entendeu que esse nível de liberdade era suficiente, mas não é uma medida comum aplicada no caso de imigrantes”. Procurado pela reportagem, o advogado do casal no Brasil ainda não se manifestou sobre o novo episódio do caso.

Prisão

O casal Hernandes havia sido detido no último dia 9 assim que desembarcou no aeroporto de Miami por declarado falsamente para à alfândega norte-americana que não carregava mais de US$ 10 mil cada. O casal portava, entretanto, US$ 56 mil em espécie.

Relatório produzido pela própria alfândega norte-americana revela que o casal transportava os dólares escondidos em diversos compartimentos, como bolsas, porta-CDs e até dentro de uma bíblia, que estava na bagagem de Sônia.

O casal ficou preso no Centro de Detenção Federal, na região central de Miami, até terça-feira, quando os dois foram transferidos para detenções da polícia de imigração.

Estevam seguiu para o Centro de Detenção Krome, enquanto sua mulher foi levada para uma prisão em West Palm Beach, próxima de Boca Raton, cidade onde o casal possui uma mansão. (Teoria da Prosperidade, expansionismo e música são “bases” da Renascer)

Brasil

Sônia e Estevam conseguiram embarcar para os Estados Unidos porque obtiveram no final de dezembro uma liminar no STJ (Superior Tribunal de Justiça) revogando o pedido de prisão preventiva que havia contra eles. Até então, eles eram considerados foragidos. (Renascer tem pagodeiros e jogadores de futebol entre os fiéis)

No Brasil, Sônia e Estevam são acusados de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, evasão de divisas e estelionato. Os crimes envolveriam as doações feitas pelos fiéis e a abertura de “empresas fantasmas”.

No Brasil, a Justiça já havia bloqueado alguns bens do casal, como um haras na região de Atibaia (SP). Apesar de o casal possuir uma fortuna estimada em R$ 19 milhões, como uma mansão na Flórida, a igreja acumula dívidas de R$ 12 milhões –como os aluguéis dos vários templos da Renascer.

Após a prisão do casal nos Estados Unidos, o Gaeco conseguiu uma liminar na Justiça que determina a prisão preventiva do casal. Os promotores também já entraram com um pedido de extradição do casal ao Brasil. Os advogados do casal, entretanto, tentam impedir a extradição.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
244