DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Brasileira assassinada por namorado em Pompano Beach

Existe uma pergunta que fica na garganta de todo imigrante, principalmente pais e mães de jovens brasileiros nos Estados Unidos. O que pode levar uma menina de 17 anos, bonita, saudável, modelo fotográfico, a se envolver com uma pessoa doente, que deveria estar numa instituição de recuperação? E o pior, que direito tem um rapaz como o porto-riquenho Juan Rafael Arrieta-Rolon de portar uma arma e tirar a vida da ex-namorada, por brigas ciumentas? Afinal, os dois se conheciam há tão pouco tempo!

O brasileiro deixa para trás as cidades violentas, que todos os dias aparecem nas manchetes de jornais, buscando um pouco mais de sossego e segurança para a família.

Por fatalidade do destino, a violência dessa vez morava ao lado.
A jovem brasileira Janaína Reis foi morta com um tiro no rosto pelo ex-namorado, porque simplesmente não queria mais ficar com ele. Ela foi assassinada sábado, 1 de outubro, ao lado da piscina do condomínio Water’s Edge, em Pompano, onde estava sentada junto com a amiga Fernanda Gomes. A polícia foi avisada por uma chamada de emergência, mas quando chegou ao local, Janaína estava morta.
Juan Rafael Arrieta-Rolon, de 22 anos, admitiu ter matado Janaína e foi preso sem fiança, mas não explicou as razões do crime, que teria sido causado por uma discussão entre os dois.

O tiro foi sem misericórdia, a “fera” só precisou chegar perto da menina e disparar no meio da testa. Alguém perguntou: “como será que esse rapaz conseguiu um revóver de uma hora para outra”?
Segundo a testemunha, Juan chegou próximo a Janaína e pediu que ela “voltasse” para ele. Ela disse que não, que o na-moro entre eles estava terminado. Juan saiu, quando voltou, logo disparou o tiro. Jogou a arma do crime no lago e, desesperado talvez até arrependido, ficou abraçado ao corpo inerte da garota.

“Ela era uma pessoa muito feliz, adorava conversar e rir muito”, disse a amiga Carolina Italiano. “Não posso acreditar no que aconteceu. Estou horrorizada e nem sei como expressar meu sentimento. Ainda estou tremendo por dentro!”, completou.

Janaína trabalhava numa lanchonete e havia participado, recentemente, do concurso Musa do Verão, promovido por um jornal local. Janaína havia comentado com amigas que tinha conhecido o borícua Juan algumas semanas atrás e que o achava “a really nice boy”.

Em solidariedade à mãe e ao padrasto de Janaína, os amigos mais próximos estão promovendo uma reunião e um car-wash para colaborar nas despesas do funeral. Para informações, ligue para Fernanda no (954) 297-2496.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153