DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Bispos da Renascer esperam audiência em prisões diferentes

Os fundadores da Igreja Renascer em Cristo, Estevam e Sonia Hernandes aguardam em prisões diferentes a audiência judicial, marcada para a próxima quarta-feira, 24, nos Estados Unidos.

Eles foram presos ao tentar entrar na Flórida com US$ 56,5 mil e ter declarado apenas US$ 10 mil às autoridades alfandegárias. O casal deixou na quarta-feira, 17, o Federal Detention Center (FDC) – prisão em Miami onde, durante nove dias, dividiram celas com detentos federais. Funcionários de imigração disseram ao Estado em Miami, que ele foi para o Krome Detention Center e ela foi para uma prisão na região de West Palm Beach.

O casal foi separado porque Krome é destinado apenas a imigrantes do sexo masculino. Porém, os novos endereços dos Hernandes não alteram sua situação processual. Por causa da audiência, eles continuam sob custódia e, até lá, não poderão ser liberados.

Com a mudança, os dois conseguiram ir para lugares com regras menos rígidas, mas perderam na qualidade das instalações e da alimentação. Conforme definição usada por um agente do FBI destacado para o caso, Estevam Hernandes trocou “um hotel 4 estrelas por outro bem pior, de 2 estrelas”.

Como o Estado publicou na terça-feira, a defesa do casal tentava a transferência desde a semana passada. Na quarta, o advogado dos Hernandes no Brasil, Luiz Flávio D’Urso, definiu a nova situação de seus clientes como “semiliberdade”. “Agora eles estão só sob responsabilidade da Polícia de Imigração”, afirmou.

O argumento usado pelo advogado Maurício Azdazabal – representante dos líderes da Renascer nos EUA – é que eles já haviam quitado US$ 5 mil correspondentes ao sinal do valor da fiança para o crime de lavagem de dinheiro, mas continuavam presos apenas por causa da acusação de falsificação de documento público, crime inafiançável. Como estavam detidos apenas por um crime apurado pela Polícia de Imigração, teriam direito de sair da penitenciária federal.

Extradição
O Ministério da Justiça recebeu na quarta-feira o pedido de extradição, enviado pela 1ª Vara Criminal de São Paulo. Pela tramitação definida na lei, cabe agora ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, solicitar a extradição ao Ministério das Relações Exteriores – que deverá remetê-lo em nome do governo brasileiro às autoridades americanas.

A defesa do casal entrou com pedido de habeas-corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo contra o pedido de extradição. Se ela for mantida, os Hernandes voltarão ao Brasil após resolver suas pendências com a Justiça americana e serão presos, por causa de uma ordem de prisão decretada pela 1ª Vara Criminal.

Cronologia do caso
1 de setembro: Justiça acolhe denúncia de estelionato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica contra o casal Hernandes e mais dois membros da igreja. Determinado o seqüestro de suas contas e bens.

15 de setembro: Em um depoimento na Justiça, os acusados negam as denúncias, alegando manter negócios no mesmo endereço e CPF da Renascer por serem “empreendedores”.

23 de outubro: O Ministério Público acusa o casal de usar a igreja como fachada para atividades criminosas. Um pedido de prisão é aceito em primeira instância, mas revertido pelo STJ.

9 de janeiro: O casal é preso no aeroporto de Miami com dinheiro escondido na bagagem, inclusive em uma Bíblia. Após nove dias em prisão federal, são transferidos para uma cadeia de imigrantes.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153