DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Senado rejeita projetos de lei de imigração, deixando os “Dreamers” no limbo

O Senado dos Estados Unidos rejeitou uma série de projetos de lei para proteger os “Dreamers”, na quinta-feira, dia 15, deixando no limbo o futuro de 1,8 milhão de jovens adultos trazidos aos Estados Unidos ilegalmente como crianças.

O Senado não obteve os 60 votos necessários para avançar em quatro propostas separadas, incluindo uma apoiada pelo presidente Donald Trump e um projeto bipartidário separado que tinha sido o mais provável de obter aprovação no Senado profundamente dividido.

Trump ajudou a derrotar o projeto bipartidário, que caiu em 54 a 45 votos, rotulando-o apenas algumas horas antes como “uma catástrofe total”.

Ele, em vez disso, apoiou um plano republicano que ofereceria aos “Dreamers” um caminho para a cidadania, mas que também daria o financiamento para construir um muro na fronteira dos EUA com o México e imporia restrições muito mais duras à imigração legal. Em um golpe ao presidente republicano, 14 senadores de seu próprio partido opuseram-se a esse projeto de lei, que falhou por um voto enfático 60-39.

Os votos do Senado foram os últimos em uma série de falhas no Congresso nos últimos anos para aprovar um plano abrangente de imigração e deixaram legisladores e defensores da imigração procurando um caminho a seguir para os jovens Dreamers.

Democratas queixaram-se de que a abordagem intransigente de Trump está afundando os esforços para encontrar um acordo no Congresso.

“Este voto é uma prova de que o plano do presidente Trump nunca se tornará lei. Se ele parasse de torpedear esforços bipartidarios, uma boa lei passaria “, disse o líder democrata do Senado, Chuck Schumer.

Em um comunicado na noite de quinta-feira, a Casa Branca culpou os democratas por não aprovarem a legislação, dizendo que “eles não estão sérios sobre a reforma da imigração, nem em relação a segurança interna”.

Embora o programa Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA) tenha o prazo de expiração no dia 5 de março, juízes federais impediram que isso aconteça em meio a litígios. Fonte: Reuters.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta News
Gazeta News
153