DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

SEMPRE TEM ALGUÉM INDO NA CONTRAMÃO

Em tempos de compulsão alimentar, no momento que a maioria das pessoas estão lutando para comer corretamente, tem gente lutando para “dar uma jacadinha”. Eu explico. Nosso cérebro possui uma imensa capacidade, isso é certo. Mas essa capacidade pode ser tanto boa quanto ruim. Da mesma forma que o nosso cérebro pode ter uma tremenda força chamada determinação para treinar, terminar uma maratona, pode usar essa determinação para nunca comer alimentos que não sejam classificados como super saudáveis. Com certeza isso é um problema, aliás tudo que está em exagero no nosso comportamento é um problema.

Talvez o que você ainda não saiba é que o comportamento de comer corretamente ou supostamente corretamente todo o tempo é também um transtorno alimentar. E tem nome, ORTOREXIA. Afinal qual seria o problema de comer corretamente sempre? Bem, acontece que isso é muito difícil e por esse motivo leva as pessoas a se isolarem socialmente. As pessoas que tem ortorexia evitam eventos sociais para não serem expostos ao alimento não saudável e isso é um sofrimento emocional que traz depressão.

LEIA TAMBÉM  Terra Brasilis: o desafio de iniciar um centro cultural brasileiro em Broward

Por incrível que pareça, muitos atletas desenvolvem a ortorexia. Esse grupo sempre é exposto a informações do que é ou não saudável, do que pode ou deve ser ingerido e são pessoas ávidas por notícias sobre o assunto. Porém, nem sempre as informações são verdadeiras ou o que acontece mais comumente, a interpretação da notícia é tendenciosa e o comportamento se torna maléfico. No grupo de pessoas mais expostas ao risco da ortorexia estão as mulheres e seguidores de blogs e perfis de pessoas famosas e consideradas saudáveis.

Outra consequência da ortorexia é a desnutrição. Isso é possível porque junto com a gana de comer apenas alimentos saudáveis está a ausência de alimentos considerados bons. Isso faz com que a pessoa deixe de comer nutrientes importantes e assim a desnutrição se instala. Quem tem o transtorno alimentar da ortorexia quando come algo que não é classificado como saudável desenvolve ansiedade, culpa e muitas vezes vergonha. A preocupação de quem tem esse transtorno não é apenas com a forma física, é muito mais com a proveniência dos alimentos. Há uma preocupação excessiva com o grau de pureza dos alimentos. Eles devem ser considerados biologicamente puros. A obsessão pode ser por um nutriente ou por vários. Existem aqueles que evitam o sal, ou a gordura, ou agrotóxicos, proteína animal entre outros. Isso pode evoluir e a pessoa passa a evitar todos eles, o que aumenta o problema de restrição e desnutrição. Alguns só comem grãos depois de germinados.

LEIA TAMBÉM  O filme brasileiro Diário da Motocicleta leva prêmio britânico

Como toda doença, ela não aparece da noite para o dia. Ninguém vai dormir saudável e acorda com ortorexia, por isso é muito importante a interação da família. Se você observa alguém da sua família ficando preocupado porque tem um churrasco no fim de semana, com medo de comer, já temos um sinal. Essa pessoa não está com nenhum transtorno, mas pode desenvolver.

Comments

comments

Ivani Manzo
Ivani Manzo
Dra. Ivani Manzo é doutora em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP – EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Em 2010 iniciou seus estudos em Life Coach e desde então trabalha ajudando as pessoas a alcançarem seus objetivos.



276