DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Xuxa fica em quinto nos 50m borboleta

O veterano Fernando Scherer conseguiu nesta segunda-feira o melhor resultado do Brasil até o momento na disputa do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, em Montreal. Xuxa ficou em quinto lugar na final dos 50m borboleta, com o tempo de 23s74. A marca foi um pouco pior do que a conseguida nas semifinais, quando com 23s55 o brasileiro bateu o recorde sul-americano.

– Claro que queria uma medalha, mas o quinto lugar também não foi ruim. Na semifinal, acho que minha saída não foi boa. Na final, achei que a primeira braçada saiu curta. Estava meio afobado e cansei no final. Este é o meu segundo melhor tempo na prova e agora vou descansar bastante para os 50m livre – disse, referindo-se à prova que será disputada no sábado.

O Brasil não sobe ao pódio no Mundial de Esportes Aquáticos desde 1994, em Roma, quando foi bronze nos 100 m livre, com Gustavo Borges, e no revezamento 4×100 m livre, com Borges, Scherer, André Teixeira e Teófilo Ferreira.

O vencedor da prova desta segunda-feira foi o sul-africano Ronald Schoeman. Assim como na semifinal, ele que quebrou o recorde mundial dos 50m borboleta. Schoeman fez o tempo de 22s96, superando a histórica marca dos 23s na prova. O americano Ian Crocker levou a medalha de prata com 23s12 e o ucraniano Sergyi Breus ficou com o bronze, com o tempo de 23s38.

– Estava um pouco nervoso porque todos os nadadores na prova eram muito bons, então, tratei de nadar o mais rápido que pude. Claro, fiquei surpreso outra vez com o recorde. Espero que venham mais resultados como este na competição – afirmou Schoeman.

Mais cedo, a brasileira Joanna Maranhão fez 2m16s69 e não conseguiu ficar entre as oito finalistas dos 200m medley. Mesmo assim, a nadadora disse ter se sentido melhor.

– Agora estou mais aliviada. Não consegui nadar bem de manhã e fiquei preocupada, mas conversei com os técnicos e eles disseram para eu me preocupar mais com a tática da prova ao invés de ficar tão concentrada no tempo. Me senti bem no nado de peito e agora acho que vou consegui acertar para os 400m medley (no próximo dia 31) – disse.

Fabíola Molina ficou fora das semifinais dos 100m costas. A brasileira conseguiu apenas o 19º tempo das eliminatórias (1m03s14). Apesar da eliminação, Fabíola não se mostrou chateada. A nadadora disse que está prova foi apenas uma preparação para os 50m costas, que acontecerá na próxima quarta-feira.

– Foi bom. Minha prova principal aqui é a de 50m costas. Nadei os 100m para ter uma oportunidade de avaliar como estou. Fiquei apenas 20 centésimos acima do meu melhor tempo. Para os 50m acho que tenho que melhorar meu recorde sul-americano (29s25), que fiz este ano (em maio, no Troféu Brasil) – disse.

Gabriel Mangabeira, que é especialista nos 100m borboleta, prova em que foi sexto lugar nas Olimpíadas de Atenas-2004, foi eliminado nos 100m costas. Terminou em 27º lugar, com 56s64. Fabíola Molina também perdeu, mas nos 100m costas. Ela ficou em 19º lugar, com tempo de 1min03s14, e fora da semifinal por três posições.

Michael Phelps perde mais uma

O australiano Grant Hakcett superou o americano Michael Phelps nas eliminatórias dos 200m livres, do Mundial de Montreal. O australiano cravou 1min47s88, enquanto Phelps, segundo mais rápido, marcou 1min48s17. Apesar de ter sido superado, Phelps disse que está se sentindo melhor do que no domingo, quando foi eliminado nos 400 metros.

Recorde mundial nos 100m peito

A americana Jessica Hardy estebeleceu neste o novo recorde dos 100m peito, com o tempo de 1min06s20. Hardy sobrou na primeira bateria das semifinais da prova, chegando com mais de um segundo de vantagem em relação à segunda colcoada. A final dos 100m peito será nesta terça-feira.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
196