DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Wilma mata pelo menos três e arrasa Cancún

O furacão Wilma deve permanecer em Yucatán por até 36 horas
Pelo menos três pessoas morreram durante a passagem do furacão Wilma pela Península de Yucatán, no México.
No balneário turístico de Playa del Carmem, duas pessoas morreram quando um tanque de gás explodiu e ao oeste da península, um homem morreu quando foi atingido por um grande galho.

No balneário de Cancún, o furacão inundou hotéis, quebrando janelas e arrancando escombros das construções, que já haviam sido esvaziadas na preparação à passagem da tormenta, neste sábado.

As águas alcançaram o terceiro andar de alguns hotéis.

Os ventos fortes lançaram árvores e destroços ao ar, e as autoridades metereológicas dos Estados Unidos afirmam que o furacão está “castigando incessantemente” o balneário.

Dezenas de pessoas saquearam ao menos quatro lojas de conveniência, carregando sacolas com latas de atum e macarrão, enquanto outros arrastaram mesas, cadeiras e lâmpadas de uma loja de móveis destruída pelo furacão.

O centro de Cancún ficou tomado por vidro, troncos de árvores e carros com água até o teto. Segundo a agência de notícias AP, a única equipe de limpeza visível na área consistia de dois trabalhadores usando serrotes para cortar um emaranhado de ramos de árvores.

Inundações

O diretor de Proteção Civil do Estado de Yucatán, Major José Nemecio Medina, disse que muitas equipes de emergência estavam presas em suas bases.

“Não temos informação sobre nada. Não há telefones, tanto fixos, como celulares. Não temos quaisquer notícias de Cancún, Praia do Carmen ou Cozumel. Penso que será uma situação catastrófica”, disse Medina.

O governador do Estado de Quintana Roo (que abrange parte da península), Felix Gonzalez Ocanto, afirmou que ventos de até 225 quilômetros chegaram a danificar prédios considerados a prova de furacões.

Em Cozumel, outro balneário turístico mexicano, as ruas ficaram inundadas e vários hotéis e casas foram parcialmente destruídos.

Espera-se que o Wilma permaneça sobre a Península de Yucatán por mais 30 ou 36 horas, segundo o meteorologista Alberto Hernandez, do Sistema Meteorológico Nacional do México.

Perigo

O fato de o furacão estar se movendo muito lentamente – a cerca de 6km/h – preocupa as autoridades já que quanto mais tempo o sistema ficar próximo à terra, maior a destruição.

O centro do furacão permaneceu horas em cima de Cozumel, produzindo ventos que arrancaram árvores, cortaram linhas de eletricidade e destruíram janelas de resorts na pequena ilha que é um dos principais destinos turísticos do México.

Algumas áreas ficaram um metro abaixo d’água por causa das fortes chuvas.

As previsões indicam que de Yucatán, Wilma seguirá para o norte, na direção de Cuba e do estado americano da Flórida, onde deve se intensificar.

O Wilma é um furacão de categoria 4 na escala usada para medir a força desse tipo de tempestade e está causando mal tempo em uma vasta área do Caribe.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153