DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

“Turistas” fracassa na bilheteria

Mochileiros estrangeiros em excursão ao Brasil acabam vítimas de uma quadrilha de traficantes de órgãos e ficam em oitavo lugar entre os filmes mais vistos dos Estados Unidos. Pois é, os protestos brasileiros e a revolta da crítica americana bem que funcionaram.

Em seu fim de semana de estréia, o terror Turistas arrecadou pouco mais de US$ 3 milhões, o maior fracasso entre as estréias do gênero. O sádico Jogos Mortais 3, por exemplo, arrecadou US$ 33 milhões no primeiro fim de semana, enquanto a refilmagem de A Profecia conseguiu US$ 16 milhões.

Turistas, assim mesmo em português, conta a história de seis jovens gringos que decidem passar as férias no país do samba, futebol e caipirinha e são assaltados, drogados e retalhados por traficantes de órgãos. Os traficantes, por sua vez, são um tipo de Robin Hood dos fígados e corações, pois tiram os órgãos dos turistas ricos para abastecer um hospital pobre do Rio de Janeiro “como uma maneira de lutar contra o imperialismo do Primeiro Mundo”, diz um personagem.

A trama aparvalhada e cheia de preconceitos enfureceu a crítica americana, que disparou todo tipo de recriminação ao longa, ao elenco e ao diretor. Não sem razão. Na resenha do filme, a revista Variety destaca uma cena em que o médico/vilão diz a seu ajudante: “Seu índio estúpido, faça o que eu digo. Agora você é meu.”

Além das falas sem sentido, motoristas malucos, veículos precários e caipirinhas envenenadas mostram que o longa, que custou apenas US$ 10 milhões (o que seria considerado troco pelos padrões de Hollywood), é uma aposta da Fox Atomic, empresa da Fox voltada para o público jovem, ganhar dinheiro fácil dos maiores consumidores de terror que existem.

“Se estupidez fosse crime, esses idiotas do terror barato levariam chicotadas por um bom tempo em Attica (uma prisão muito conhecida no país)”, diz o jornal New York Post sobre o longa. A Hollywood Repórter também descarregou sua artilharia contra Turistas e trata o filme como “um emaranhado com roteiro confuso e obscuro”.

Não é a primeira vez
O Brasil já foi retratado de maneira duvidosa pelos filmes estrangeiros. Pessoas falando espanhol e com roupas típicas mexicanas costumam representar o País nas telas. O documentário Olhar Estrangeiro, de Lúcia Murat, que estreou neste último fim de semana no Brasil, fala justamente sobre essa imagem errada do Brasil retratada por estrangeiros nas telonas.

Um dos casos mais famosos de distorção foi o da passagem de Homer Simpson e sua família por essas terras. No episódio de Os Simpsons, macacos, bissexualismo e roubos foram abordados, mas com o humor característico da série.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
156