DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Tráfico ilegal de imigrantes brasilerias

Tráfico ilegal de imigrantes brasileiras

Por Silvana dos Santos

A Organização das Nações Unidas, revelou um número preocupante de tráfico de imigrantes latinos para os EUA. Entre os países que fazem a rota do tráfico humano com destino aos Estados Unidos estão:Brasil, Colômbia, República Dominicana,Costa Rica e México.
O Brasil é o país de maior número deste tráfico, 75.000 brasileiras provenientes dos Estados de Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, já foram trazidas aos Estados Unidos com falsas promessas de emprego e acabam sendo direcionadas para a prostituição. Estudos realizados pelo governo americano diz que o número de imigrantes traficados está entre 18.000 á 20.000 pessoas trazidas por ano para os Estados Unidos para serem exploradas sexualmente.
Essas brasileiras são vítimas de uma organização de exploradores sexuais, que pagam todos os custos de sua viagem do Brasil a travessia da fronteira do México, tendo os Estados Unidos como destino. Os agenciadores trazem grupos de 10 brasileiras gastando este uma média $25,000 dólares, somente com o transporte dessas mulheres.O retorno financeiro dos aliciadores chega á $ 100,000 por pessoa. Os agenciadores brasileiros recebem em média $10,000 à $ 20,000 dólares para selecionar as moças e enviá-las ao México. Chegando no México o grupo encontra-se com o ”coyote” mexicano, o qual recebe de $ 2,500 a $ 6,000 dólares do agenciador para transportarem as moças na fronteira México-EUA, levando-as para vários estados como: New Jersey, Massachusetts, Flórida entre outros estados americanos.
As mulheres vêm com a promessa de que trabalharão como dançarinas por apenas 6 meses, para pagarem os custos da viagem e depois deste prazo podem seguir o caminho que desejam. Mas não é exatamente isso que acontece, pois alguns aliciadores adicionam juros absurdos no valor gasto para o transporte das vítimas.
Várias moças, as quais não tem condições de pagar a agência no prazo de 6 meses, permanecem trabalhando por mais tempo para conseguirem quitar a dívida que tiveram de fazer para que pudessem entrar nos Estados Unidos. Devido á falta de documentação legal para trabalharem, e ao baixo valor pago por hora em empresas que empregam indocumentados, muitas dessas mulheres permanecem trabalhando com prostituição. O maior ponto de centralização dos agenciadores estão nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Rondônia que enviam as moças para São Paulo com destino ao México.
Um dos membros da quadrilha de traficantes humanos, Antoniel Nunes Macedo foi preso em Goiânia-Go e transferido para Marabá. Sua prisão preventiva foi decretada pelo delegado da Polícia Federal de Goiás,Luís Eduardo Navajas Pereira .
Antoniel Nunes Macedo é acusado de assassinar Solange Ribeiro de Souza de 21 anos, em outubro do ano passado. Macedo matou Solange em Eldorado do Carajás no Sul do Pará porque, Sheila, a irmã da vítima negou-se a prostituir-se nos Estados Unidos. Macedo foi preso no dia 05 de maio de 2005. Os policias da Polícia Federal continuarão investigando o caso que deve levá-los a outros membros da quadrilha do tráfico.
Outro delegado da PF, Luciano Dornelas, de Goiânia, disse que Sheila estava sofrendo ameaças de morte nos Estados Unidos juntamente com seus familiares. Um registro da ameaça chegou a ser feito pela polícia americana.
Sheila teria entrado no país por intermédio de uma prima de prenome Elziane, que mora em New Jersey e faria parte do esquema de aliciamento de brasileiras para a prostituição nos Estados Unidos.
O cerco ao redor dos aliciadores começa a se fechar com a vigilância intensa das fronteiras pelos patrulheiros de imigração, que têm aprisionado grande número de imigrantes. Além do empenho da polícia federal, os brasileiros já podem contar com a nova CPI contra tráfico humano sendo iniciada no Brasil, pelo senador Hélio Costa (PMDB-MG) e o deputado João Magno (PT-MG).

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
197