DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

TAM premia

Cazuza – O Tempo não Pára e a família de Fernanda Montenegro foram os vencedores no Prêmio TAM de Cinema, entregue ontem na Marina da Glória, em festa prestigiada por todo o povo da sétima arte nacional.

A cinebiografia de Cazuza levou sete dos 16 troféus para longas de ficção (filme, ator, fotografia, som, trilha sonora e roteiro adaptado) e os outros foram divididos entre O Outro Lado da Rua (atrizes, coadjuvante e protagonista), Narradores de Javé (coadjuvante e roteiro original) e Olga (direção de arte, figurino e maquiagem).

Dercy Gonçalves, a homenageada desta edição, teve trechos de seus filmes antigos exibidos e respondeu com sua verve habitual.

A festa de Fernanda Montenegro deve-se à sua premiação como melhor atriz (O Outro Lado da Rua) e de seu filho, Cláudio Torres, como diretor por Redentor, seu filme de estréia. “Ele tem a força e a inconseqüência de todo primeiro filme”, disse ela ao receber o troféu. “Fico muito feliz por ganhar o prêmio no ano em que Dercy recebe homenagem, com minha amiga Laura Cardoso e com meu filho”, falou Fernanda, aplaudidíssima.

Dercy lembrou que, na sua idade, 98 anos, é um recorde e, com o espírito crítico intacto, elogiou a elegância da festa, que exigia traje black-tie. “É ótimo todo mundo elegante neste Oscar brasileiro. Especialmente os homens que ficam lindos de terno.”

A marca do TAM-2005 foi premiar veteranos, como Fernanda Torres, Laura Cardoso e Walter Carvalho (fotografia por Cazuza – O Tempo não Pára), e novatos como Cláudio Torres (Redentor) e Marlene Moura (maquiagem em Olga), que lembrou que aprendeu tudo fazendo novelas e programas de televisão.

Daniel Oliveira também está em seu primeiro filme e O Prisioneiro da Grade de Ferro, melhor documentário de longa-metragem também é o primeiro filme nesse formato de Paulo Sacramento. Ele venceu dois medalhões da gênero, Eduardo Coutinho e João Moreira Salles, ambos com filmes sobre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Quem mais comemorou foi Daniel Filho. “A melhor coisa deste prêmio é que os eleitores da Academia, ou seja, as pessoas que fazem cinema no Brasil, respeitaram o gosto do público”, disse ele, que produziu Cazuza, campeão de bilheteria do ano passado, com mais de 3 milhões de espectadores.

A cerimônia de entrega foi mais simples que as anteriores, desta vez dirigida por João Falcão. O Grupo ZE – Zenas Emprovisadas – divertiu, chamando de 2 em 2 as 20 categorias e os discursos foram rápidos e emocionados. Laura Cardoso ganhou neste quesito, pois mal conseguia falar de tanta alegria. Depois da entrega, a festa entrou pela madrugada, com muita música dançante brasileira, regada a uísque escocês e champanhe francês.

Veja a lista dos premiados:

Filme: Cazuza – O Tempo não Pára
Diretor: Cláudio Torres, por Redentor
Atriz: Fernanda Montenegro, por O Outro Lado da Rua
Ator: Daniel Oliveira, por Cazuza – O Tempo não Pára
Atriz Coadjuvante: Laura Cardoso, por O Outro Lado da Rua
Ator Coadjuvante: Gero Camilo, por Narradores de Javé
Fotografia: Walter Carvalho, por Cazuza – O Tempo não Pára
Direção de Arte: Tiza de Oliveira, por Olga
Figurino: Paulo Lóes, Olga
Maquiagem: Marlene Moura, Olga
Som: Zezé d´Alice, Waldir Xavier e Rodrigo Noronha, por Cazuza – O Tempo não Pára
Trilha sonora: Guto Graça Mello, por Cazuza – O Tempo não Pára
Montagem: Sérgio Mekler, por Cazuza – O Tempo não Pára
Roteiro Original: Luiz Alberto Abreu e Eliane Caffpe, por Narradores de Javé
Roteiro Adaptado: Fernando Bonassi e Victor Javas, por Cazuza – O Tempo não Pára
Longa-metragem documentário: O Prisioneiro da Grade de Ferro, de Paulo Sacramento
Longa-Metragem estrangeiro: Dogville, de Lars Von Trier
Curta-metragem de ficção: A História da Eternidade, de Camilo Cavalcante
Curta documentário: Da Janela do Meu Quarto, Cao Guimarães
Curta de animação: Nave Mãe, de Otto Guerra e Fábio Zimbres

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
226