DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Seleção brasileira treina à tarde em Buenos Aires

O Brasil deu neste domingo um grande passo rumo à Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Jogando no Beira-Rio, em Porto Alegre, a seleção fez uma boa exibição e bateu o Paraguai por 4 a 1. Ronaldinho Gaúcho (2), Zé Roberto e Robinho marcaram os gols brasileiros – Roque Santa Cruz descontou. Com a vitória, a seleção chegou a 27 pontos – um atrás da Argentina e dez à frente de Colômbia e Chile, quinto e sexto colocados, respectivamente.

O Brasil se prepara agora para o clássico contra a Argentina, quarta-feira, no Monumental de Núñez. O Paraguai joga, também na quarta, contra a Bolívia, em Assunção.

Diante de um Beira-Rio lotado, a seleção logo tomou as rédeas da partida, partindo para cima do adversário. O Paraguai, no entanto, postou-se bem atrás, armando uma retranca que dificultava o trabalho do “quarteto fantástico” formado por Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Robinho e Adriano.

Mesmo assim, o Brasil foi envolvendo os marcadores e acumulando, e desperdiçando, oportunidades. Na primeira, aos dez minutos, Kaká tocou na área para Robinho, que chutou travado. Pouco depois, Robinho acionou Zé Roberto, que cruzou para trás. Kaká bateu de primeira e o goleiro Villar espalmou.

Bem marcado por Gamarra, Adriano conseguiu aparecer em dois bons momentos, aos 20 e 27, concluindo na rede pelo lado de fora na primeira oportunidade e, depois, sem ângulo, chutando sobre Villar já dentro da pequena área. A pressão aumentava pouco a pouco e, aos 31 minutos, Roberto Carlos cruzou da esquerda e a bola bateu no braço direito de Bonet. Pênalti marcado pelo uruguaio Martin Vazquez. Na cobrança, Ronaldinho Gaúcho deslocou o goleiro e bateu no canto direito, abrindo o placar.

Dez minutos depois, Robinho puxou contra-ataque e, ao seu estilo, pedalou dentro da área. O paraguaio Da Silva derrubou o atacante do Santos: novo pênalti. Ronaldinho Gaúcho bateu alto, forte, no mesmo canto: 2 a 0.

O Brasil o segundo tempo em ritmo acelerado, e logo aos dois minutos Zé Roberto acertou o travessão. O Paraguai precisou se abrir, dando mais espaços para as arrancadas de Ronaldinho Gaúcho e Kaká, e o Brasil começou a dar espetáculo. Em um lance, Roberto Carlos aplicou dois lençóis em dois adversários. Por outro lado, a seleção afrouxou um pouco a marcação, deixando o Paraguai rondar com mais perigo o gol defendido por Dida.

A seleção também rondava demais a área paraguaia, mas exagerando nos lances individuais e arriscando pouco ao gol. Zé Roberto corrigiu esse defeito aos 25 minutos, acertando belo chute colocado de fora da área e ampliando o placar. O jogo parecia decidido e a torcida já sonhava com uma goleada quando, aos 27, Roque Santa Cruz aproveitou cochilo da defesa e, de cabeça, venceu Dida para descontar.

Parreira mexeu no time logo depois, trocando Emerson e Adriano por Gilberto Silva e Ricardo Oliveira. Mesmo acomodado em campo, o Brasil quase chegou ao quarto em uma bela jogada. Ronaldinho Gaúcho lançou Robinho, que dominou com perfeição e bateu forte. Villar espalmou e ainda evitou a conclusão de Ricardo Oliveira no rebote. Aos 34, Lúcio fez falta e, como já tinha o amarelo, foi expulso. Quando Parreira preparava a substituição de Robinho por Juan, para recompor a defesa, o atacante do Santos recebeu passe açúcarado de Kaká e tocou por baixo do goleiro Villar para definir o marcador: 4 a 1.

Brasil 4 x 1 Paraguai

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Árbitro: Martin Vazquez (URU), auxiliado por Fernando Cresci (URU) e Marcelo Costa (URU)

Cartões amarelos: Paredes, Belletti, Mansur, Lúcio e Roque Júnior

Cartão vermelho: Lúcio

Gols: Ronaldinho Gaúcho aos 32 minutos e 42 minutos do primeiro tempo; Zé Roberto aos 25 minutos, Roque Santa Cruz aos 27 e Robinho aos 37 minutos do segundo tempo

Brasil: Dida, Belletti, Lúcio, Roque Júnior e Roberto Carlos; Emerson (Gilberto Silva), Zé Roberto, Kaká e Ronaldinho Gaúcho; Robinho (Juan) e Adriano (Ricardo Oliveira). Técnico: Carlos Alberto Parreira

Paraguai: Villar, Caniza, Mansur, Gamarra e Da Silva; Bonet (Barreto), Ortiz, Paredes e Torres; Cabañas (Cuevas) e Roque Santa Cruz. Técnico: Aníbal Ruiz

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
196