DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Seleção Brasileira faz uma estréia abaixo das expectativas.

Não foi uma estréia como todos nós esperávamos, mas a seleção brasileira conseguiu sua primeira vitória na Copa do Mundo-2006. Com a fraca atuação de Ronaldo e pouca mobilidade de Adriano, o “quadrado mágico” do Brasil se restringiu ao jogador Kaká e Ronaldinho. O craque do Barcelona fez algumas boas jogadas, mas foi o jogador do Milan quem decidiu o jogo com lindo gol no final do primeiro tempo.

Os dois times iniciaram taticamente da mesma forma como jogaram nas partidas eliminatórias. O Brasil foi a campo com o 4-4-2, e os croatas, no 3-5-2. O que chamou a atenção foi a disposição do time brasileiro em marcar a saída de bola do adversário, o que forçou a 2 erros da defesa da Croácia. Apesar de um começo com marcação forte isto apenas os 5 primeiros minutos da partida. Depois, a Croácia conseguiu equilibrar o jogo. Sem a marcação na saída de bola, os croatas tinham espaço para tocarem a bola. Com a posse de bola, a única opção da Croácia era pela esquerda, com o atacante Prso (número 9) e o ala Bibic (8) tentando armar jogadas em cima de Cafu.

O Brasil, no primeiro tempo, teve muitas dificuldades para escapar da marcação da Croácia, muito bem feita por sinal. O sistema defensivo da Croácia estava armado com os três zagueiros e quatro jogadores de meio, protegendo os zagueiros da seguinte maneira: Niko Kovac (10) ajudando na marcação do lado esquerdo, ao lado do ala Bibic (8), e Tudor (5) fazendo a mesma função com Srna (2), pelo lado direito.

Os nossos atacantes Adriano e Ronaldo mais pareciam zagueiros da Croácia. Os meias Kaká e Ronaldinho também não se movimentavam e ficavam fixos — Kaká pelo lado direito e Ronaldinho pelo esquerdo. Cafu, com os croatas forçando o jogo nas suas costas, não podia avançar. Sobrava a opção de Roberto Carlos, que tentava algumas finalizações de longa distância.

A partir dos 20 minutos, os croatas conseguiram impor um ritmo lento na partida. Por isso, o jogo ficou monótono. Mas, mesmo com o domínio, os croatas só conseguiram dar um chute (horrível por sinal) ao gol de Dida.

Com este cenário, a chance de gol do Brasil estava ou numa jogada de bola parada –Ronaldinho teve a chance, mas a bola bateu na barreira– ou numa jogada individual. O gol saiu assim, Kaká pegou a bola na intermediária e com um belo chute marcou o único gol do jogo.

O segundo tempo começou com os croatas adiantando suas peças. A Croácia começou marcando a saída de bola do Brasil. A tática deu certo e, com jogadas que começavam sempre pelo lado esquerdo, os croatas criaram três situações de gols em dez minutos –três boas defesas de Dida.

Com mais espaço, esperava-se que o Brasil conseguisse usar o contra-ataque. Mas, com Adriano e Ronaldo presos no meio dos zagueiros, o time não conseguia jogar com velocidade. Para dar mais velocidade no time, Parreira sacou Ronaldo e colocou Robinho. O time ficou mais leve, e Robinho tentou algumas jogadas individuais, mas nada que aumentasse a força do ataque brasileiro.

Para sorte brasileira, o time croata cansou nos últimos minutos e pouco ameaçou o gol de Dida no final –apenas alguns sustos em bolas paradas.

Foi só o primeiro sufoco. Até domingo, contra a Austrália.

Avaliação do time

Dida – Assistiu o jogo no primeiro tempo. Fez três grandes defesas no segundo tempo. Nota 7
Cafu – Não pôde apoiar tanto, pois os ataques da Croácia eram todos pela esquerda. Teve problemas na marcação de Prso. Nota 5
Lúcio – Muito bem no jogo aéreo, teve problemas para fazer a cobertura de Cafu. Nota 5,5
Juan – Tranqüilo, foi bem na cobertura de Lúcio. Nota 6
Roberto Carlos – Começou bem, arriscando chutes ao gol. No segundo tempo ficou na marcação e apoiou pouco. Nota 6,5
Emerson – Não passou da linha de meio-de-campo, atuou como um terceiro zagueiro. Fez muitas faltas quando saiu na cobertura dos laterais. Nota 5,5
Zé Roberto – Errou poucos passe e esteve muito bem, pegando vários rebotes. Poderia ter avançado mais. Nota 6,5
Kaká – Decidiu a partida. Foi o jogador brasileiro que mais se deslocou para receber a bola e finalizou várias vezes ao gol. Nota 7
Ronaldinho – Algumas jogadas de efeito e deu uma cabeçada perigosa. Atuação apenas regular, para o melhor do mundo. Nota 5,5
Ronaldo – Deu apenas um chute ao gol. Mal fisicamente pouco se movimentou. Péssima atuação. Nota 3
Adriano – Não se achou em campo. Foi presa fácil para a defesa da Croácia. Pelo menos, lutou mais que Ronaldo. Nota 4.
Robinho – Entrou no lugar de Ronaldo, deu mais movimentação ao time. Nota 5
Carlos Alberto Parreira – Demorou para mudar o time. Nota 5

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
222