DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Santos admite ir à Justiça Comum

O presidente do Santos, Marcelo Teixeira, deverá conceder entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira a respeito dos incidentes registrados na noite de ontem na Vila Belmiro, quando o time perdeu para o Corinthians por 3 a 2, em partida que foi encerrada antes do final por falta de segurança. Os dirigentes não querem antececipar o conteúdo da entrevista, mas não está descartada a possibilidade de o clube recorrer à Justiça Comum.

O Santos alega ter sido prejudicado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que anulou os 11 jogos apitados pelo árbitro Edílson Pereira de Carvalho, réu confesso no processo que investiga um esquema de manipulação de resultados.

Ontem, após os incidentes – quando muitos torcedores invadiram o gramado e o trio de arbitragem foi ameaçado de agressão – o diretor jurídico do Santos, Mário Mello, chegou a defender a tese de que o clube deveria abandonar o campeonato.

Hoje, Mello desconversou quando perguntado a respeito, mas justificou a invasão do gramado pelos torcedores santistas. “Veja bem, todos nós santistas fomos para o estádio ontem, nos sentindo prejudicados. Quando saiu o pênalti (de Zé Elias em Nilmar) e o torcedor vislumbrou a possibilidade de perder o jogo, aconteceu a revolta. Torcedor é assim mesmo. É paixão”, justificou ele, em entrevista ao programa Redação Sportv.

O diretor jurídico reclamou ainda da atuação do árbitro Cléber Wellington Abade, que teria prejudicado o Santos no jogo de ontem. Mello, no entanto, não conseguiu sustentar a sua tese. O Corinthians teve um pênalti claro não marcado a seu favor; o pênalti marcado em Nilmar que definiu o jogo, existiu de fato, como mostram imagens da tevê.

Além disso, na jogada que resultou na expulsão de Carlos Alberto, o corintiano estava em posição legal quando recebeu a bola. Em seguida, por tentar ganhar tempo, Carlos Alberto foi derrubado e xingado pelo goleiro Saulo e só o corintiano foi expulso. Por fim, as imagens mostraram ainda que Giovanni e Zé Elias incitaram os torcedores a invadir o gramado.

VILA: A Vila Belmiro corre sério risco de ficar fechada por seis meses. Também falando ao Sportv, o procurador geral do STJD, Paulo Marcos Schmitt revelou que ainda nesta sexta-feira deve encaminhar ao tribunal um pedido de interdição do estádio. O time do Santos poderá ser obrigado a jogar fora da Vila e com portões fechados, já na próxima rodada do Campeonato Brasileiro.

VANDALISMO: As cenas de vandalismo que verificaram na Vila Belmiro durante a partida também ocorreram nas imediações do estádio, quando houve conflito entre torcedores e policiais. Dezessete torcedores foram presos e dois policiais acabaram feridos.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
244