DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Sai Gallo e entra Nelsinho no Santos

Uma surpresa na manhã desta terça-feira no aeroporto de Cumbica, em São Paulo: enquanto o Corinthians viajava para Buenos Aires, onde joga amanhã contra o River Plate, pela Copa Sul Americana, chegava em um avião procedente do Japão, o técnico Nelsinho Baptista que, para surpresa de todos, revelou que é o novo técnico do Santos, substituindo Alexandre Gallo que foi demitido ontem à noite.

“Eu acertei tudo em Los Angeles, direto com o Marcelo Teixeira, o presidente do Santos”, disse.

Ele afirmou não ter aceito um contrato com o Corinthians, porque havia pedido R$ 300 mil por mês, mais R$ 40 mil para cada um de seus auxiliares, o ex-jogador Nenê e seu filho Eduardo que é fisiologista e preparador físico.

Segundo Nelsinho, o seu contrato com o Santos vai até dezembro de 2006. Ele viaja ainda pela manhã para Santos, para assinar o seu contrato e fazer sua apresentação à tarde

Nelsinho deixou recentemente o Nagoya Grampus, do Japão, país onde trabalhou nos últimos dois anos e meio. Apesar disso, garante que nunca perdeu contato com o futebol brasileiro. Informou que acompanha muitas partidas do campeonato nacional pela tevê.

O treinador acredita que o Santos tem todas as condições de brigar pelo título. O time está em quinto lugar na classificação geral, com 47 pontos, mas a apenas quatro pontos do líder Internacional. Segundo ele, o Santos é uma equipe qualificada e vai ficar ainda mais forte com as contratações de Luizão e Cláudio Pitbul – apresentados na segunda-feira. Campeão paulista em 1978 pelo Santos como jogador, Nelsinho já tinha dirigido três equipe das grandes de São Paulo – passou pelo Corinthians, Palmeiras e São Paulo. Ele trabalhou várias vezes no exterior. Em 1989 esteve no Sporting Barranquila, da Colômbia. Entre 1993/94 dirigiu o Al Hilal, da Arábia Saudita e entre 1994/96 comandou o Verdy Kawasaki, do Japão. Em 1999 passou pelo Colo-Colo, do Chile e, por fim, esteve no Nagoya Grampus.

Gallo dirigiu o Santos em 42 jogos, com 20 vitórias, 11 empates e 11 derrotas.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152