DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Restituição de Imposto de Renda: O que fazer com este dinheiro?

Está chegando aquela hora que muitos esperam o ano inteiro: a restituição de imposto de renda. O que fazer com este dinheiro extra?

A primeira coisa a se entender é que este dinheiro não é “free money”, este dinheiro é seu! Você pagou a mais para o governo, de modo que ele não está te fazendo um favor, mas apenas te retornando o que é seu por direito. Então, vamos pensar com carinho o que fazer com este dinheiro inesperado.

Minha primeira dica é: se você tem dívidas de cartão de crédito, aproveite esta grana e pague-as! Nada vai compensar mais do que se livrar dos juros altos do cartão!

Investir, seria uma opção?
Por mais que os números mostrem um tipo de investimento como vantajoso, vários fatores devem ser avaliados antes dessa decisão. O dinheiro poupado deverá ser dividido em investimentos direcionados aos objetivos de curto, médio e longo prazos.

Metas de curto prazo
São aquelas que se pretende realizar em até um ano. Para esses, é interessante aplicar em caderneta de poupança, pois, quando necessitar, terá a disponibilidade de retirar sem pagar taxas. Não que o dinheiro vá crescer ali, nós sabemos que não vai, mas é um lugar certo para manter uma quantia que será usada em um curto espaço de tempo.

Metas de médio prazo
Estas metas alcançam um período de um a cinco anos. São aqueles que não ocorrem imediatamente, mas conseguimos visualizar a realização em um período não tão longo. Para estes são interessantes investimentos que precisem de um tempo maior para crescer. Pode ser incluída nesta categoria a entrada do carro novo ou da casa própria.

Metas de longo prazo
São aqueles que a maioria das pessoas acredita que não irá realizar, por representar algo muito distante. O tempo destes sonhos é acima de dez anos, o que faz com que muitos desanimem antes mesmo de começar.

Para estes sonhos a recomendação é investir em previdência privada e/ ou ações. No caso de investimento em ações, o melhor é investir no máximo 20% do dinheiro total com essa finalidade, isto porque existe grande risco por depender do desempenho da empresa na qual investe; e com a política instável em que vivemos no momento, nunca se sabe o que pode acontecer com o mercado. Já uma previdência privada vai te pedir 20 ou 30 anos de investimento que vão ser superseguros para a vida toda. Aí entra a famosa questão do “quero agora” ou estou trabalhando para o meu “quero no futuro”. Neste momento, muita calma e foque no resultado final!

É importante manter a calma e não tomar decisões por impulso. Também é recomendado que se tenha uma reserva financeira extra para os imprevistos. Geralmente, problemas acabam desviando o dinheiro dos sonhos de médio e longo prazo. Portanto, se você não tem uma reserva para emergências, esqueça tudo o que você leu neste artigo e vá começar a sua reserva agora.

E, finalmente, foque nos seus objetivos. Isso fará com que a realização dos seus planos se torne mais simples e realmente atingível.

Uma ótima semana!

Baixe nosso app:

Comments

comments

Tags: ,,,,,

Claudia Fehribach
Claudia Fehribach
Carioca, formada em Artes pela Universidade do Rio de Janeiro. Conselheira financeira especialista em orçamento, aconselhamento de crédito pessoal e hipotecas reversas. Atua na empresa DebtHelper.com. Envie sua dúvida por email.
424