DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Restaurante exige que clientes falem inglês.

As normas impostas por Joseph Vento, dono do restaurante Geno’s, na Filadelphia, exigem que os clientes só façam os pedidos em inlgês.

E dessa maneira, um dos restaurantes da Filadelphia cuja fama reside nos “cheese steaks”, ou bife com queijo, tomou conta do debate nacional sobre a reforma da lei de imigração.

Situados em uma área ao Sul da Filadelphia com forte presença de imigrantes, tanto o Geno’s como seu principal rival, o Pat’s King of Steaks, são o epicentro de uma zona rebatizada como “a zona zero dos bifes com queijo”.

Mas ao colocar pequenos cartazes que informam aos clientes “Aqui é a América. Quando pedir, fale em inglês”, o dono do restaurante criou uma tormenta política.

Vento defende sua posição. “Os imigrantes ignoram a sorte que têm.

Tudo o que estamos pedindo é que aprendam a falar inglês. Queremos ajudar essas pessoas, mas também essas pessoas devem ajudar a si próprias”, disse Vento, de 66 anos.

Ele, cujos avós aprenderam inglês em meio a muitas dificuldades, após chegar da Sicília aos Estados Unidos, no século passado, disse que colocou os cartazes há uns seis meses, quando crescia a preocupação com a reforma migratória e aumentava o número de clientes que não sabiam fazer seus pedidos em inglês.

A tradicional comunidade italiana no bairro de Geno’s diversificou-se com o curso do tempo.

Chegaram imigrantes da Ásia e América Latina, mesclando-se com residentes de longa data e jovens profissionais que buscam moradia relativamente barata. Nos últimos dez anos, entre 15 mil e 20 mil imigrantes mexicanos estabeleceram-se no Sul da Filadelphia.

O dono do restaurante assegura que seus funcionários têm toda satisfação em auxiliar os clientes que não nasceram nos EUA a fazer seus pedidos em inglês, e que ninguém é privado de fazer seus pedidos por causa de problema de linguagem.

O diretor de um grupo de defesa dos direitos de imigrantes, Peter Bloom, disse que pretende enviar representantes ao restaurante para fazer seus pedidos em espanhol e que, dependendo do que ocorra, pretende iniciar uma ação judicial contra o proprietário. “Os avós de Vento já encontraram o mesmo tipo de racismo e xenofobia.

Por que iniciar de novo um processo de racismo?”, argumentou Bloom.

Em uma recente reunião do Conselho Municipal, o conselheiro Jim Kenney pediu a Vento que retirasse os cartazes. O proprietário do restaurante informou ter recebido inúmeras críticas e ameaças, mas que pretende defender sua convicção, mesmo que perca dinheiro.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
222