DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Preço do petróleo cai depois de alta expressiva na 2ª

Os preços do petróleo caíram nesta terça-feira depois de terem subido 7% na segunda-feira.
O preço do barril de petróleo leve cru caiu US$ 1,20 no mercado de Londres, depois de ter subido US$ 4,39 na segunda-feira, o maior aumento em um único dia desde dezembro de 2001.

O petróleo do tipo Brent também caiu pouco mais de US$ 1, e estava sendo negociado a US$ 64,52.

O mercado espera uma decisão dos ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que estão reunidos em Viena.

Eles devem anunciar ainda nesta terça-feira se aumentam ou não a produção de petróleo.

Ceticismo

Na segunda-feira, os preços do petróleo leve cru subiram 7%, chegando a US$ 67,39 o barril, o maior aumento em um único dia desde dezembro de 2001.

Nesta terça-feira, na Ásia, os preços caíram um pouco, mas se mantiveram em alta, fechando a US$ 67,16 o barril.

Corretores de petróleo estão preocupados com a possibilidade de interrupção da produção no Golfo do México, em função da tempestade tropical Rita, que avança na costa da Flórida.

Em Viena, os ministros da Opep estão avaliando se aumentam a produção em 2 milhões de barris por dia.

No entanto, analistas estão céticos quanto à possibilidade de a oferta adicional de petróleo ter um impacto sobre os preços.

FMI

Em relatório publicado nesta terça, o Centro Global de Estudos sobre a Energia diz não ser provável que qualquer ação da Opep reduza substancialmente os preços.

“A capacidade ociosa da Opep caiu para 2 milhões de barris por dia, mas muito disso fora da Arábia Saudita continua sendo de utilidade questionável”, diz o relatório.

Também o Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou recentemente que o investimento previsto em capacidade de produção e refinaria não será suficiente para impedir aumento de preços nos próximos cinco anos.

No seu relatório anual Perspectivas para Economia Mundial, a ser publicado na quarta-feira, o Fundo deverá dizer que é improvável que a produção supere o consumo global de petróleo nesse período.

Os preços do petróleo subiram 45% nos últimos 12 meses, embora estejam ainda abaixo do valor recorde de US$ 70,85 por barril registrado imediatamente após o impacto do furacão Katrina na região produtora dos Estados Unidos.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153