DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Pensilvânia aprova nova lei contra ilegais.

Hazleton, Pensilvânia – O conselho da cidade aprovou uma nova lei nesta quinta-feira (13) destinada a tornar esta pequena cidade do nordeste da Pensilvânia um dos lugares mais hostis dos EUA para imigrantes ilegais que desejam viver e trabalhar no local.

A votação por 4 votos a favor e 1 contra ocorreu após quase duas horas de intensos debates. Os contrários às novas medidas argumentam que a lei é possivelmente ilegal, em contra partida, os partidários dizem que ela é necessária devido ao crescente número de imigrantes ilegais que vem afetando a qualidade de vida da cidade.

“Devemos criar uma barreira, e estamos fazendo isto hoje”, afirmou o prefeito Lou Barletta na sessão ocorrida no Conselho.

A nova lei nega a licença mercantil das empresas que contratarem indocumentados, multa os patrões em mil dólares por cada imigrante ilegal que estiver trabalhando em sua propriedade e requer que os documentos municipais oficiais sejam impressos unicamente em inglês.

“Aos cidadãos ilegais, eu recomendo que deixem a cidade”, afirmou Barletta depois da sessão.

“O que vocês vêem aqui está noite, realmente, é uma cidade que deseja recuperar o que os EUA nos deram”, disse o prefeito, que chegou à reunião com colete aprova de valas. No entanto, disse que não teria sido ameaçado, mas tomou precauções porque o tema provoca “forte tensões”.

Na frente ao concelho, cerca de 300 pessoas se reunirão junto com os opositores à nova medida, alguns com faixas que diziam “parcialidade”. Uma linha de policiais foi encaminhada ao local para separá-los dos manifestantes partidários à lei.

Uma das manifestantes contraria a lei perguntou em voz alta aos manifestantes que estavam com ela:

“Estamos preparados para apoiar aos cidadãos norte-americanos nascidos de alguém que está ilegal”? Várias dos manifestantes responderam: “Sim!”

A manifestante também advertiu o conselho que a aprovação da nova lei converteria Hazleton na “primeira cidade nazista do país”.

Jack Mundie, vice-presidente do conselho, votou a favor da medida. De acordo com seu ponto de vista,“somos contra os imigrantes ilegais que estão vindo para cá o que está gerando a diminuição dos recursos da cidade”, avaliou.

As autoridades municipais disseram que o número de residentes latinos em Hazleton, que tem uma população de 31.000 habitantes, aumentou consideravelmente nos últimos seis anos, porém não souberam dizer quantos indocumentados vivem atualmente na cidade.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
222