DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Peixe vence Figueira na festa de Robinho

Na festa da despedida de Robinho da Vila Belmiro, o Santos levou susto, mas conseguiu vencer o Figueirense por 4 a 3. O Peixe chegou a abrir 4 a 0, mas permitiu a reação no segundo tempo e quase leva o empate no final. Com o resultado, o time paulista foi a 36 pontos e subiu para o quarto lugar. O Figueirense, com 20, está em antepenúltimo.

O próximo jogo do Santos será quarta-feira, em Belém, contra o Paysandu. Como não levou cartão amarelo neste domingo, Robinho deverá jogar no Pará. Já o Figueirense, recebe o Atlético-MG, em Florianópolis, na quinta-feira.

O Santos começou a toda velocidade, criando chances de gol desde a saída. Aos 4, Ricardinho cobrou falta da direita e Giovanni subiu para desviar de cabeça. A bola passou por cima do gol. Aos 15, Wendel cruzou da esquerda e achou Robinho dentro da área. O craque ajeitou no peito para Élton, que chutou rasteiro. A bola passou à esquerda do goleiro Édson Bastos. Aos 17, o Figueira respondeu. Edmundo passou para Bilu. O volante recebeu livre, mas chutou fraco.

Na sequência, aos 18, veio o gol. Élton arrancou pelo meio e passou para Ricardinho. O meia fez jogada individual e chutou de fora. A bola carimbou a trave e sobrou para Élton, que empurrou de esquerda para o gol. Aos 21, Giovanni acertou excelente lançamento para Robinho, que dominou e foi agarrado por Marquinhos Paraná dentro da área. Pênalti que o próprio Robinho bateu para marcar, aos 22, ampliando a vantagem.

O jogo era movimentado e o Figueirense quase diminiu aos 23. Edmundo mergulhou de cabeça e Saulo espalmou. Apesar de sofrer alguma ameaça do time catarinense, o Santos continuava mandando no jogo. Aos 30, Giovanni recebeu de Robinho e chutou de fora. A bola desviou na zaga e encobriu o goleiro: 3 a 0.

Num ritmo alucinante, o Santos continuou criando. Diego arrancou pela direita e foi derrubado por Marquinhos Paraná na área. Mais um pênalti. Robinho colocou a bola embaixo do braço e ampliou o placar, aos 32. Na comemoração, o craque se ajoelhou e beijou o gramado que o consagrou.

Figueirense cresce de produção

O jogo mudou completamente de dono no segundo tempo. Em 13, minutos, o Figueirense marcou três gols e calou a Vila Belmiro. Logo aos 2 minutos do segundo tempo, a bola foi cruzada na pequena área do Santos e Cléber, sozinho, subiu para diminuir.

A zaga santista continuou batendo cabeça e, aos 10, Michel Bastos construiu grande jogada, invadiu a área e tocou na saída de Saulo, diminuindo o placar. Aos 13, nova falha da zaga santista. Luiz Alberto perdeu a bola para Alexandre, que rolou para Edmundo. O camisa 10 chutou forte e fez o terceiro.

O Santos só conseguiu chegar com perigo aos 24. Giovanni cruzou da direita e cruzou para Diego. O atacante subiu livre, mas cabeceou fraco. Após esse lance, o Santos insistiu mais, mas parou na zaga do Figueirense.

O time catarinense ainda tentou surpreender o Santos em contra-ataques. Chegou a ameaçar em alguns lances, como aos 31, quando Cléber acertou a bola na trave, numa cabeçada, e aos 39, quando Michel Bastou chutou de fora e assustou Saulo. No entanto, não conseguiu empatar.

Santos 4 X 3 Figueirense

Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos

Árbitro: Luiz Antônio Silva Santos (RJ)

Renda e público: 130.000,00/18.124 pagantes

Gols: Élton, 18, Robinho, 22, Giovanni, 30, Robinho, 32 do 1º tempo; Cléber, 2, Michel Bastos, 10, Edmundo, 13, do 2º tempo

Cartões amarelos: Cléber, Marquinhos Paraná, Axel (FIG), Zé Elias (SAN)

Santos: Saulo; Bóvio, Ávalos, Luiz Alberto e Wendel; Zé Elias, Élton (Gavião), Ricardinho e Giovanni (Léo Lima); Robinho e Diego. Técnico: Alexandre Gallo.

Figueirense: Édson Bastos; Dudu (Rodrigo Souto), Beto, Cléber e Michel Bastos; Axel, Marquinhos Paraná, Bilu, Fernandes (Rogerinho); Alexandre (Adriano) e Edmundo. Técnico: Adílson Baptista.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152