DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Paulo Nunes e Diego também foram acusados de insultar atletas

O argentino Desábato sofreu uma punição nunca aplicada a outros jogadores acusados de ofensas raciais nos gramados brasileiros.

A lista tem gente famosa, como Paulo Nunes e Diego, jogadores de times médios, como Wellington Paulo, e até outro atleta com passaporte argentino, Frontini.

Em 1999, quando defendia o Palmeiras, Paulo Nunes foi acusado por Rincón, então no Corinthians, e Vágner, na época no São Paulo, de insultos raciais em jogos.

Três anos depois, foi a vez de o santista Diego estar no centro de uma polêmica. Segundo jogadores do Corinthians na época, como Kléber e Renato, ele teria chamado os rivais de “macacos” em jogo do Brasileiro-02.

Na atual temporada, outros dois casos aconteceram. Em Minas Gerais, o zagueiro Wellington Paulo, do América, fez ofensas racistas a André Luiz, do Atlético-MG. Ele não foi preso, mas recebeu um gancho esportivo de 30 dias da federação local.

Antes de Grafite, o São Paulo já havia tido um jogador seu envolvido em um caso de suposto racismo. O zagueiro Fabão acusou Frontini, que nasceu em Buenos Aires –mas chegou ainda criança ao Brasil–, de tê-lo chamado de “macaco” no confronto entre o time do Morumbi e o Marília.

Com tantos casos ignorados, nem todos os jogadores negros aplaudem o ocorrido com Desábato. “Foi uma atitude errada do jogador do Quilmes, mas a atitude que fizeram contra ele também foi. Não é só no campo que acontece isso, em todo lugar tem racismo, na esquina, no shopping. Deveriam tomar essa atitude com todos os que têm preconceito”, disse Betão, do Corinthians.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
196