DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Pastores da Renascer não se apresentam à justiça

Desde que o Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva do casal Hernandes, fundadores da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, o promotor Arthur Lemos passou a receber e-mails com ameaças, informa reportagem da Agência Estado.

Um deles, informa a matéria, afirma que se Estevam Hernandes for preso, “um povo se levantará” contra os promotores. “Vamos rastrear o IP e procurar identificar a origem”, diz Lemos. O casal Hernandes continua sendo procurado pela Justiça.
Na sexta-feira(1), a Justiça negou pedido de habeas corpus feito pelos fundadores da Igreja Renas-cer, Sônia e Estevam Hernandes. A igreja é considerada uma das maiores congregações religiosas do país. Os dois estão com a prisão preventiva decreatada por não comparece-rem à audiência em processo que os acusa de lavagem de dinheiro e estelionato.
A polícia de São Paulo ainda não tem pistas do paradeiro dos dois,considerados foragidos. O Ministério Público Estadual pediu a prisão preventiva do casal, que alegou problemas de saúde no dia da audiência.
Nota oficial publicada na página de internet da Igreja, informa que Estevam Hernandes não compareceu à audiência judicial por ter sofrido um “derrame ocular”, e justifica também a ausência de Sônia Hernandes. “o quadro apresentado reclamava vários cuidados médicos e assistência pessoal da bispa Sônia”.
A nota manifesta ainda “veemente repúdio às denúncias” publicadas recentemente pela imprensa brasileira, no Brasil e no exterior, e ressalta os 20 anos de atuação da Igreja, afirmando estarem seus integrantes “sempre focados na primícia de sua missão, se esmerado durante sua existência em trabalhar para amenizar o sofrimento dos desamparados e menos favorecidos”.
Na Flórida, a bispa da Igreja Angelita Vale procurou, por telefone, a redação do Gazeta Brazilian News. Ela lamentou a publicação dos fatos, mas disse não ter autonomia para falar sobre o assunto. O processo corre em segredo de Justiça. Ela encaminhou ao Gazeta a nota oficial de esclarecimento da Igreja, na qual os líderes da Renascer em Cristo afirmam ser “a mola propulsora de suas existências”, o sonho de verem cumprida o que chamam de profecia: a afirmação de que “O Brasil será o maior país evangélico do mundo”.
Além do casal, mais três sócios são considerados foragidos. Eles tiveram a prisão decretada pela Justiça do processo no qual os cinco foram denunciados por transformar a Renascer e as dez empresas do grupo em uma organização criminosa. A Procuradoria do estado de São Paulo está processando as empresas do grupo por falta de pagamento de impostos. A dívida chega a R$ 57 milhões.
Fiscais da fazenda estadual de São Paulo rastrearam oito contas bancárias pelas quais passaram nos últimos dois anos R$ 46 milhões não declarados à Receita Federal.
Em 25 anos, a Renascer acumulou 1,5 mil templos no Brasil e em outros seis países, inclusive nos Estados Unidos.
Conforme o Gazeta já informou, o advogado de defesa dos acusados, e presidente reeleito da OAB/SP, Luiz Flávio D´Urso, nega a lavagem de dinheiro.
– Nenhuma consideração sobre o mérito da causa pode ser feita. Nem eu, nem o juiz , nem o promotor. Foi decretado segredo de Justiça nesse processo então, quanto ao mérito nenhuma consideração pode ser feita por ninguém – argumentou.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152