DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Opep pode aumentar produção para acalmar petrolíferas

O presidente da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), xeque Ahmad al-Fahd al-Sabah, disse que pedirá ao cartel o aumento na produção de petróleo para acalmar os temores da indústria petrolífera, apavorada pelo drástico corte na produção em virtude da passagem do furacão Katrina nos Estados Unidos.
No mercado americano, o preço do barril de petróleo cru leve subiu nesta segunda-feira US$ 4,67, para US$ 70,80, antes de recuar para US$ 69,71.

Em um movimento para acalmar o setor, o xeque al-Sabah comprometeu-se a defender um acréscimo de 500 mil barris ao dia no próximo encontro do cartel.

“Estamos tentando fazer de tudo para estabilizar os preços. Parece que agora os preços se relacionam a outros fatores, como geopolítica, tempo e o refino, e não mais à produção”, contou o xeque Ahmad aos repórteres.

Preocupações de que a oferta não será suficiente para atender à demanda e incertezas políticas nos países produtores de petróleo têm fomentado temores de que os preços do barril possam quebrar a barreira dos US$ 100.

Estoques

Por sua vez, a Casa Branca informou nesta segunda-feira que pode liberar parte de seus estoques de emergência de petróleo para ajudar as refinarias prejudicadas pelo furacão.

Por causa do Katrina, oito refinarias nos Estados de Louisiana e Mississipi foram fechadas. Juntas elas produzem diariamente 1,7 milhão de barris de petróleo, ou 9% da capacidade de refino dos Estados Unidos.

A indústria petrolífera americana também foi golpeada pelo fechamento do oleoduto Capline, que transporta petróleo de Louisiana para refinarias no Estado de Illinois e para um porto de águas profundas, usado por muitos navios-tanques.

“Obviamente as reservas estratégicas estão lá para situações de emergência, e isso incluiria desastres naturais. Mas é muito cedo para definir o que faremos”, disse Scott McClellan, porta-voz da Casa Branca, a bordo de um avião da Força Aérea.

No ano passado, o governo dos EUA emprestou 5,4 milhões de petróleo de sua reserva estratégica para refinarias, após os problemas de abastecimento causados pelo furacão Ivan.

As reservas possuem mais de 700 milhões de barris armazenadas no subsolo de cavernas de Louisiana e Texas.

Economia mundial

“Não é apenas a suspensão da produção que causa preocupação. Vemos um prejuízo potencial para as plataformas de extração de petróleo, o que provocaria danos mais prolongados à produção”, disse Victor Shum, um analista da Purvin & Gertz.

Além do dano físico aos equipamentos e às refinarias, há uma crescente preocupação sobre o efeito que o furacão e os elevados preços terão sobre a econômica mundial.

Quanto mais as pessoas precisam pagar pelos produtos e necessidades do dia a dia, como o sistema de aquecimento, menos dinheiro elas terão para gastar no comércio.

O surpreendente declínio nos gastos dos consumidores americanos em agosto foi atribuído aos altos preços dos combustíveis.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153