DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Obra de Vivaldi é executada pela 1ª vez em 250 anos

Uma parte de um trabalho recém-descoberto do compositor barroco italiano Vivaldi foi executada na Austrália depois de ficar cerca de 250 anos na obscuridade.
O concerto para coral e orquestra Dixit Dominus tem 11 movimentos e dura 35 minutos, mas apenas um trecho de cerca de cinco minutos foi tocado por músicos australianos na Universidade de Melbourne.

A obra foi descoberta em Dresden, Alemanha, pela acadêmica Jance Stockigt, e deverá ser executada em sua totalidade em um concerto na cidade alemã em 2006.

Segundo Stockigt a obra era atribuída a um outro compositor do século 18, também de Veneza como Vivaldi, Baldassare Galuppi.

Por acaso

A obra havia aparecido nos registros pela primeira vez sob o nome de Galuppi, em 1750, na Igreja Católica de Dresden, e foi descoberta por Stockigt durante uma pesquisa sobre a música tocada por católicos da região da Saxônia durante o século 18.

“Acredito que a música provavelmente foi executada quando Vivaldi ainda estava vivo, mas foi registrada com o nome de outro compositor. Acho que, desde o século 18, não foi mais tocada”, disse Stockigt.

O trabalho original não foi encontrado, mas, segundo a acadêmica, cópias das partituras apareceram em Dresden com o nome de Galuppi durante a Guerra dos Sete Anos, cerca de 15 anos depois da morte de Vivaldi, em 1741.

“Dresden estava cercada na época e então, quando tudo voltou ao normal, Mozart e um novo estilo surgiram”, afirmou Stockigt.

Quando descobriu a obra, por acaso, a acadêmica australiana consultou o professor Michael Talbot, da Universidade de Liverpool, na Grã-Bretanha, e especialista em Vivaldi. Ele examinou o manuscrito e confirmou que era uma obra do italiano

“Alguma coisa a respeito da música me afetou. Parecia muito familiar”, afirmou Talbot.

Vivaldi, filho de um padeiro de Veneza, foi ordenado padre antes de conseguir um emprego como professor de violino em um orfanato para meninas. Ele compôs mais de 500 concertos, mas foi sepultado em um cemitério para pobres em 1741, em Viena.

Dois dos sobrinhos de Vivaldi trabalharam para Iseppo Baldan, um padre de Veneza que era dono de uma casa que transcrevia partituras musicais.

Como a partitura encontrada sob o nome de Galuppi continha também a letra manuscrita de Baldan, Stokigt suspeitou que o trabalho poderia ser de Vivaldi.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152