Mais uma brasileira é encontrada morta na Flórida; suspeito é ex-namorado

A massagista brasileira, Jorgete Acarie, 43 anos, foi encontrada morta em sua casa, na região de Orlando, na cidade de Emerald Lake (Orange County), no último dia, 26. O ex-namorado, o pedreiro Kristofer Gould, 34 anos, é o principal suspeito de ter cometido o crime. As informações são do jornal “Orlando Sentinel”.

O filho de Acarie, de dois anos, também estava na casa, mas foi encontrado sem nenhum ferimento. Ele está sob custódia do Departamento de Crianças e Famílias da Flórida.

As autoridades detalharam que já foram chamados aos mesmo endereço dezenas de vezes, mais de 50 nos últimos 2 anos, conforme documentos liberados pelo escritório do xerife, publicou o canal “WFTV.com”.

No último dia 20, Acarie ligou para o 911 para denunciar o ex-namorado, que estaria na porta da casa dela, por volta da 1h30, gritando e pedindo para entrar, mas ela não o atendeu. Na mesma madrugada, ele quebrou a janela do banheiro da casa com um tijolo. A mulher ligou novamente para o 911 e relatou que o ex-namorado havia ido embora em um Nissan Altima preto. Os policiais foram até a casa de Gould, mas ele não atendeu. No dia 24, quatro dias após o incidente, um mandado de prisão foi emitido para Gould. Acarie foi assassinada a tiros dois dias depois.

Ainda segundo a publicação, o conturbado do casal começou em janeiro de 2009 e teve fim em janeiro de 2011. Um mês após o término, a mulher foi ameaçada de morte pelo ex-namorado e pediu proteção ao Estado. Em seu depoimento, a brasileira teria repetido como o ex-namorado a ameaçou: “Eu vou te matar, você vai morrer, eu vou matar você e sua família”. O juiz concedeu uma liminar, mas depois negou.

“Agora eu estou com medo de ele voltar e me matar e matar meu outro filho … e matar o meu bebê”, ela teria expressado.

Em julho de 2011, outra petição foi feita. Na época, Acarie declarou que as ameaças continuavam. Até que, no mês seguinte, o homem finalmente foi preso sob a acusação de ameaça e perseguição. Ele ficou na cadeia por apenas dois dias, pois pagou a fiança de $ 1,5 mil dólares, mas foi mantido em prisão domiciliar – monitorado por GPS. Em outubro, foi preso novamente por não utilizar corretamente o sistema de monitoramento. Ganhou liberdade condicional em abril de 2012.

“Ele estava em liberdade condicional por perseguição com agravante. O mandato de liberdade condicional foi emitido, mas nunca foi levado adiante pelo escritório do xerife, pois as autoridades não o encontraram”, disse o advogado da brasileira, Eben Self, de acordo com o jornal “Brazilian Voice”.

Até o momento, Gould não foi localizado. A polícia da Flórida segue investigando o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>