DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Nenê Hilário reafirma boicote à CBB

Fora da Seleção Brasileira de Basquete que se prepara para a Copa América no fim do mês, o pivô Nenê Hilário, do Denver Nuggets da NBA, garante que só volta “quando as condições do basquete brasileiro estiverem aceitáveis”. Desde terça-feira no Brasil, o jogador participa do Adidas Superstar Camp na Hebraica, primeira edição da clínica de basquete na América Latina. “Sem profissionalismo não dá para jogar. A gente tem de estar feliz para jogar. Eu não estava feliz na Seleção”, desabafou.

Recuperando-se de uma contusão no joelho direito, Nenê prefere não polemizar: “Tudo o que tinha para falar sobre esse assunto (Seleção), já falei. Quero só tocar meu treinamento. Estou cansado de ouvir o Brasil do passado…”, disse o jogador que acredita que na Copa América “a Seleção tem tudo para estourar porque é muito jovem e talentosa”.

Para Joe Santos, seu agente, Nenê estava insatisfeito com ele mesmo. “Ele voltou de Porto Rico (o Pré-Olímpico, quando o Brasil não conseguiu vaga para a Olimpíada de Atenas/2004) dizendo que o time podia ter jogadas melhores, que podia ter sido mais bem aproveitado e ter sido o líder da equipe. Não tem bronca de ninguém. Não tem bronca do técnico (Lula Ferreira)”, explica o português.

Ainda de acordo com o empresário, o jogador espera administração mais transparente da CBB. “O Brasil tem muito talento. Por que não ter uma administração desse nível?” Além disso, Joe tentou trazer dois técnicos norte-americanos para auxiliar a Seleção, mas a CBB não aceitou.

A Argentina não contará com o time principal na Copa América. “Depois da conquista do ouro olímpico, tiramos férias. Mas temos uma segunda equipe que terá um ótimo desempenho”, já adianta o argentino Andres Nocioni, do Chicago Bulls, que também participa da clínica na Hebraica ao lado do mexicano Eduardo Najera, do Denver Nuggets como Nenê.

São 53 jogadores de Brasil, Chile e Argentina, entre 15 e 17 anos em treinos fechados ao público nesta quinta e na sexta. No sábado, haverá o “All-Star Game” (uma partida às 16h e campeonato de enterradas e cestas de três), aberto ao público (são 3 mil lugares). O ala/pivô argentino Izequiel Manzanares, de 15 anos, estava animado para o treino. “O Nocioni é o meu jogador preferido na Argentina”, disse o garoto.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152