DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Medo de repressão tem afetado a saúde de famílias imigrantes nos EUA

Crianças estão mais ansiosas por medo da deportação. Foto ilustrativa: Flickr\runneralan2004

Um estudo desenvolvido pela Kaiser Family Foundation, por meio da Kaiser Health News, indicou um aumento de problemas de saúde entre famílias imigrantes nos Estados Unidos, tanto indocumentadas quanto documentadas, e também uma diminuição na busca por consultas primárias de saúde em clínicas e hospitais por essas famílias em 2017.

Publicado em dezembro, o estudo aponta que a repressão imposta pelas mudanças nas políticas de imigração da atual administração do presidente Donald Trump vem aumentando o estresse e ansiedade nas famílias, especialmente nas crianças.

O relatório foi baseado em entrevistas com grupos de 100 pais e com 13 pediatras e descobriu que os imigrantes em todo o país estão sofrendo de ansiedade pelo medo de serem deportados e separados dos membros da família. Alguns pais relutam em deixar suas casas ou participar de atividades recreativas.

De acordo com o relatório publicado pelo site Inquirer, o medo e o estresse estão comprometendo a saúde das crianças e será pior a longo prazo. Também está fazendo com que alguns pais abandonem os cuidados de saúde ou se retirem de programas de saúde pública como o Medicaid, que abrange pessoas com baixos rendimentos e fornece assistência nutricional para mulheres, bebês e crianças.

E esta ansiedade generalizada pós-eleitoral não se limita aos imigrantes sem papéis, aponta o relatório. “Esses sentimentos de medo e incerteza se espalham por diferentes grupos de imigrantes, incluindo imigrantes que estão aqui legalmente”, disse Samantha Artiga, diretora do projeto de política de disparidades na Kaiser Family Foundation e um dos autores do relatório.

“Eles já não sentem que um green card seja suficiente e [acreditam] que realmente precisam buscar a cidadania para se sentirem seguros e estáveis ​​no país”, disse Artiga.

Nas entrevistas, pais e pediatras relataram que estavam sofrendo de depressão, ansiedade, doenças de estômago e dores de cabeça. Eles também viram crianças que estavam tendo problemas para comer, dormir e fazer tarefas escolares.

O estresse geral pode ter consequências ao longo da vida para a saúde dessas crianças, disse Lanre Falusi, pediatra do Children’s National Health System em Washington, DC e ex-presidente local da Academia Americana de Pediatria.

Embora a maioria dos pais consultados na pesquisa tenha dito que ainda estão levando seus filhos ao médico, o relatório mostrou que algumas famílias se deslocaram para mais visitas sem agendamento para evitar ter que fornecer informações pessoais para agendar uma consulta.

A pediatra Falusi disse que viu um uso diminuído de serviços de cuidados primários de saúde desde as eleições de 2016. “Quando há rumores em torno de ataques de imigração, os estacionamentos ficam vazios”, disse. “As clínicas estão vazias”.

Para tentar ajudar as famílias a se sentirem mais seguras, os médicos aumentaram os sinais de boas-vindas e colocando funcionários bilíngues no atendimento para garantir que as informações serão mantidas confidenciais.

Tanto os pais quanto os pediatras também relataram que o racismo, a discriminação e o bullying – especialmente com os muçulmanos e os latinos – aumentaram desde a eleição.

“A retórica anti-imigrante realmente encorajou as pessoas a serem odiosas, e isso é prejudicial para nossos filhos em particular”, disse Jenny Rejeske, analista sênior de política de saúde do National Immigration Law Center.

Além disso, muitos aspectos da vida diária – como dirigir para uma entrevista de emprego, por exemplo – tornaram-se mais difíceis para famílias imigrantes, de acordo com pediatras e pais. Um pai latino de Boston, por exemplo, disse que as crianças costumavam ir ao parque com frequência, mas agora passam mais tempo dentro de casa por medo de serem vistas e deportadas.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]

Tags: ,,,

Gazeta News
Gazeta News
227