DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Fugitivos de conflito no Líbano chegam ao Brasil.

Cinco argentinos, oito libaneses e 85 brasileiros que fugiram do Líbano em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) já passaram por Recife para abastecer a aeronave e chegam ainda hoje (18) em São Paulo. Entre os passageiros estão mulheres, crianças e idosos descendentes e parentes de libaneses, muitos dos quais que estavam em férias no Oriente Médio quando Israel iniciou o bombardeio.

Eles pousaram em Pernambuco às 12h40 e permaneceram no solo por volta de uma hora, para abastecimento da aeronave. Nenhum passageiro ficou em Recife. Todos os procedimentos de checagem de passaportes e nacionalização serão feitos em São Paulo.

Enquanto a aeronave abastecia, alguns passageiros aguardaram num dos portões de embarque do Aeroporto Internacional dos Guararapes, onde conversaram com a imprensa. O comerciante de Santa Catarina, Zouhair Haidar, que voltou no vôo da FAB com a esposa e dois filhos, afirmou que essa foi a pior experiência que teve. “O bombardeio aconteceu a 500 metros do meu apartamento, que era próximo ao aeroporto.

Estourou o vidro, houve muita poeira. Os viadutos foram os primeiros alvos”, disse. “Quando começou o bombardeio, fomos para as montanhas, há 10 quilômetros de onde eu morava. Os preços de tudo dobraram, ficaram uma loucura, começou a faltar pão, alimentos, tudo”.

O comandante da aeronave da FAB, Salvini Krieger, disse que “esse vôo serve para mostrar a capacidade operacional da Força Aérea de operar em qualquer parte do mundo. É um vôo de muito orgulho para nós”.

A região passa por uma escalada de violência desde que Israel, sob pretexto de se defender de ações do movimento libanês Hizbollah, iniciou ataques ao sul do Líbano e à capital, Beirute. “Quando eles pararem de lançar mísseis e libertarem os soldados seqüestrados, Israel terminará as ações no Líbano”, disse a embaixadora israelense no Brasil, Tzipora Riomon.

Os ataques ao Líbano já causaram a morte de dezenas de civis libaneses e de quatro brasileiros que estavam de férias no país. O governo brasileiro divulgou nota lamentando a incursão de Israel no sul do Líbano e o ataque a instalações locais. Na nota, “reitera sua oposição a atos desproporcionais de represália que possam contribuir para deteriorar ainda mais o já delicado quadro político e humanitário regional”.

Segundo o professor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília, Argemiro Procópio, o envolvimento de outras partes no conflito poderia até mesmo trazer conseqüencias para o Brasil. “Digamos que o Irã entre no conflito, para onde vai o preço do petróleo?”, questiona. De acordo com a agência Lusa, o exército israelense disse que mísseis lançados pelo Hizbollah seriam de fabricação iraniana.

Agência Brasil

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
240