DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Federal suspende operação padrão em Cumbica

Por causa do cansaço e das longas filas no setor de embarque internacional do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, os agentes da Polícia Federal (PF) que trabalham no setor de imigração resolveram suspender, por volta das 22h, a operação padrão iniciada nesta quarta-feira (18) nos principais aeroportos do país.

Embora os policiais federais tivessem decidido levar a operação até pelo menos às 8h desta quinta-feira (19), a ação foi abortada em São Paulo e as filas começaram a diminuir. O procedimento de verificação de passaporte dos passageiros voltou à normalidade e já está sendo realizado em menos de 30 segundos.

“Devido à filas e ao cansaço da equipe que está nessa operação padrão desde de manhã, resolvemos agilizar a liberação dos passageiros”, disse ao G1, uma agente do setor de imigração.

Lentidão

A operação padrão, que teve início na manha desta quarta-feira, provocou filas nos aeroportos e em Cumbica os agentes disseram ter levado até 10 minutos para liberar cada passageiro. Para retardar o procedimento, os dados pessoais de cada viajante eram inseridos num computador para verificar se havia pendência com a Justiça.

O pior momento em Guarulhos ocorreu no início da noite, quando a maioria dos vôos parte para o exterior. Algumas decolagens foram atrasadas em até quatro horas. A engenheira Maria Cláudia Lopes, de 41 anos, que chegou a Cumbica às 19h30 para embarcar para Miami, nos Estados Unidos, às 22h30, ainda permanecia na fila nesse mesmo horário.

Filas

De acordo com estimativa do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal de São Paulo, as filas chegaram a 2 km, atingido a área externa do aeroporto, no horário de pico dos embarques internacionais, por volta de 20h desta quarta-feira.

A operação padrão da PF de São Paulo provocou confusão no Aeroporto Internacional de Cumbica. Houve muitas filas e a espera chegou, em média, a três horas para os vôos para o exterior, cujos passageiros precisam passar pelos agentes federais.

De acordo com a Infraero, a situação se complicou no setor de imigração, onde são checados os passaportes. As filas no local, que é reservado, chegaram ao saguão do terminal. A Infraero informou que os 43 vôos internacionais programados entre 18h e meia-noite estavam com atraso.

Com a operação padrão, o tempo de verificação dos documentos dos viajantes foi maior do que o normal. Dos oito funcionários que normalmente faziam a verificação dos passaportes, apenas dois trabalharam nesta quarta-feira.

Braços cruzados

A Federação Nacional dos Policiais Federais estima que 13 mil funcionários da categoria tenham cruzado os braços nesta quarta-feira. Os trabalhadores reivindicam pagamento da segunda parcela do reajuste de 60% prometido no ano passado – apenas metade do aumento foi pago em 2006, segundo os trabalhadores -, além da implantação da Lei Orgânica no setor, que entre os itens prevê plano de carreira.

Segundo a assessoria da federação, sindicatos de todo o país aderiram à greve de 24 horas. Foram mantidas as atividades essenciais, como a vigilância em carceragens e o plantão.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152