DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Falta de ajuda pode gerar 2ª onda de mortes na Ásia

Caxemira é foco de tensão entre Índia e Paquistão
Uma nova onda de mortes pode ocorrer na região atingida por terremoto no Sudeste Asiático por causa do frio e de ferimentos não tratados, de acordo com equipes de ajuda humanitária que atuam em campo.
Médicos no território da Caxemira administrada pelo Paquistão disseram que dezenas de milhares de pessoas ainda aguardam atendimento.

Há muitas pessoas em áreas montanhosas que não dispõem de cuidados médicos.

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que mais de 3 milhões de pessoas ficaram desabrigadas e o governo do Paquistão diz que precisa de mais meio milhão de tendas capazes de resistir o inverno.

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, prometeu ajuda financeira para ajudar a lidar com a catástrofe.

em meio à crise, a Índia negou pedido do Paquistão de um empréstimo de helicópteros sem pilotos. O governo indiano havia oferecido ao país helicópteros com tripulações, mas as autoridades paquistanesas disseram que é inaceitável militares indianos operarem na área da Caxemira que administra.

O território da Caxemira se encontra dividido entre os dois países, o que é grande foco de tensão política.

As autoridades estimam que o terremoto, ocorrido há cerca de dez dias, matou 54 mil pessoas.

Um dos coordenadores da equipe de resposta a emergências da ONU (Organização das Nações Unidas) no Paquistão, Andrew Macleod, disse na segunda-feira à BBC que o desafio de levar assistência às vítimas do recente terremoto na Ásia é maior do que o enfrentado no final do ano passado para ajudar as vítimas do tsunami.

“Aqui temos 15 mil povoados espalhados por toda a região afetada”, disse ele à BBC. “As áreas afetadas são muito maiores geograficamente do que as atingidas pelo tsunami, e em vez de planícies costeiras, estamos operando em algumas das montanhas mais altas do mundo e em vales.”

Com a melhora do tempo, os helicópteros voltaram a distribuir ajuda, mas 20% das áreas mais atingidas ainda não teriam sido alcançadas pelas equipes de ajuda.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
165