DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Euforia dos torcedores marca retorno do São Paulo ao Brasil

O que estava previsto para ser uma grande festa de recepção para os jogadores do São Paulo acabou se tornando um cenário de grande tumulto e confusão nesta quinta-feira (27) no saguão do aeroporto de Cumbica.

E o goleiro Rogério, 33, autor do gol da vitória de 1 a 0 do São Paulo sobre o Chivas, quarta-feira, no México, acabou se transformando mais uma vez no centro das atenções no desembarque da delegação em Cumbica.

Camisa 1 com mais gols na história do futebol, ao lado do paraguaio Chilavert, com 62 tentos, Rogério foi o o jogador mais aclamado pela torcida e jornalistas. Os seguranças do São Paulo tentaram protegê-lo, mas o grande número de fãs tornou a tarefa quase impossível no trajeto entre o saguão e o ônibus do clube.

E, quando tudo indicava que o goleiro iria embora, o ônibus voltou, e Rogério desceu, causando novo tumulto. Depois, ele entrou na viatura da polícia com dificuldade e foi embora.

De acordo com o capitão Oliveira Campos, que atua na base da PM no aeroporto de Guarulhos, Rogério deixou o aeroporto num carro da polícia por solicitação da diretoria do São Paulo. “Ele estava com mal-estar. Então saiu no carro da PM para ir ao heliponto do aeroporto.”

Mas o clima de euforia tomou o saguão. De acordo com a polícia, cerca de 250 torcedores foram para cima dos atletas são-paulinos em busca de autógrafos, provocando correria, gritaria e empurra-empurra.

A PM, que tinha 18 homens no local para tentar garantir a segurança de atletas e torcedores e contou com o reforço da cavalaria e do canil, pouco pode fazer para conter o ímpeto dos são-paulinos. “Infelizmente é uma situação que o jogador quer passar. Temos opções para eles irem embora sem ter contato com ninguém do saguão, mas eles fazem questão de sair e sentir o contato com o torcedor”, disse o capitão Campos.

O zagueiro Lugano foi outro que sofreu com o assédio. Empurrado na saída do saguão, ele chegou a se irritar. Já dentro do ônibus, ele voltou a acenar para os torcedores. O clima só voltou à normalidade quando o ônibus deixou o aeroporto e os jogadores acenaram para a torcida.

Em relação ao time, o técnico Muricy Ramalho irá esperar até domingo para definir quem irá enfrentar o Santos.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
222