DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Estudo revela enorme fraude em recursos para auxílio a vítimas de furacões.

Um total de $1,4 bilhão em auxílio governamental para vítimas dos furacões Katrina e Rita – quase um quarto do total – foi destinado a pessoas que não necessitavam do dinheiro, revelou uma recente investigação do Congresso.

Furacão Katrina

De acordo com o republicano Michael McCaul do Texas, chefe do subcomitê responsável pelo estudo, a fraude é uma escala de abusos que excede de longe até mesmo seus piores medos, ressaltando os meses de acumuladas evidências de que o sistema de prevenção contra fraudes da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências era inadequado. “É chocante e espantoso”, disse McCaul, um ex-promotor federal.

Os pagamentos indevidos ou fraudulentos formam uma estonteante série de artistas e outros beneficiários, de acordo com a análise feita pelo escritório de contabilidade do governo.

Em um dos casos, um homem ficou durante mais de dois meses, às custas do governo, hospedado em um hotel no Hawai, cuja diária custa mais de $100 por noite. Além disso, ele recebia $2.358 do governo em auxílio-aluguel, embora não vivesse no imóvel que alegou ter sido destruído pelo furacão.

Recursos emergenciais foram utilizados para pagar ingressos de futebol, contas no restaurante Hooters, em San Antonio, uma garafa de $200 de champagne Dom Perignon, vídeos do tipo Garotas Selvagens, um pacote de férias com tudo incluído no Caribe, num processo de divórcio e até mesmo para uma operação de mudança de sexo, informou o estudo.

Mais de $ 5 milhões foram destinados a pessoas que informaram cemitérios ou caixas postais como os endereços onde supostamente estariam os imóveis danificados pelo furacão.

A FEMA (Federal Emergency Management Agency), agência federal encarregada de oferecer auxílio em situações de desastres, também forneceu dinheiro vivo ou assistência de moradia para mais de 1 mil presidiários, totalizando milhões de dólares em auxílio. Um dos presidiários utilizou uma caixa postal para receber $20 mil. Alguns dos presidiários podem, de fato, ter tido seus imóveis atingidos pelo furacão, mas a maioria não era elegível para receber o auxílio.
Em outro caso, 24 pagamentos, totalizando $109.708 foram enviados para um único apartamento, onde oito pessoas separadamente solicitaram o auxílio financeiro, cada um utilizando o próprio número de Social Security.

Outra pessoa recebeu 26 pagamentos utilizando 13 diferentes números de Social Security, totalizando $139 mil, embora os registros públicos mostrem que o indivíduo não mora em nenhum dos endereços informado como tendo sido atingido pelo furacão.

Aaron T. Walker, porta-voz da FEMA, disse que a agência está ajustando os pontos fracos do sistema, que podem ter contribuído para a fraude, incluindo o estabelecimento de sistema que bloqueará múltiplos registros para pedido de auxílio sob um único número de Social Security.

Separadamente, a agência identificou 1,5 mil casos de possível fraude, encaminhadas para possível julgamento. Coletou também $16,8 milhões após solicitar que as pessoas devolvessem o dinheiro, caso tenham recebido mais do que deveriam.

Walker disse que a necessidade de efetuar auxílios com rapidez após os furacões fez com que se tornasse impossível checar as solicitações em um momento inicial. “A prioridade maior da FEMA durante uma situação de desastre é oferecer socorro rápido para aqueles que necessitam desesperadamente de nossa assistência”, disso.

Os investigadores concluíram que os pagamentos fraudulentos ou indevidos provavelmente estão entre $ 400 milhões e $1,4 bilhão, o que os levou a estimar em $1 bilhão o valor mais provável, o que representa cerca de 16% do total distribuído.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
223