DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Estudante atirador admirava Hitler e ouvia Marilyn Manson

Washington – O estudante norte-americano Jeffe Weise, de 17 anos, que matou nove pessoas e depois se matou na escola secundária da reserva indígena de Red Lake, perto da fronteira com o Canadá, era um admirador de Adolf Hitler e cometeu os crimes sorrindo, segundo as primeiras investigações da polícia.

Antes de se dirigir à escola, o estudante apoderou-se de duas pistolas, uma escopeta e um colete à prova de bala pertencentes a seu avô, um policial da reserva, habitada por índios chippewa, de etnia Ojibwa. Ele matou o avô e a companheira do avô. Depois pegou um carro da polícia, usado pelo avô, e foi para a escola.

Horror
Sorrindo, matou o desarmado segurança da escola, uma professora de 62 anos e cinco colegas e feriu outros sete com gravidade (dois não resistiram e morreram hoje), suicidando-se cerca de 30 minutos depois. Outros dois dos feridos estão em condições críticas.

O horror estava estampado no rosto dos sobreviventes que deixavam o edifício abraçados uns aos outros e chorando muito. “Ele entrou no corredor correndo e atirando para todos os lados”, disse um sobrevivente. Outro que escapou acrescentou: “Rindo como um louco, ele perguntou a uma menina agitando as pistolas com as mãos: ´Você crê em Deus´. Ele disparou a arma, mas não a atingiu. Aterrorizada, ela entrou numa sala” A estudante Ashley Morrison contou que olhei bem nos olhos dele. “Fiquei perplexa durante alguns segundos, mas consegui correr”, disse.

Graves problemas
Segundo o chefe de polícia local, Roman Stalely, o estudante agiu sozinho. Os motivos que levaram Jeff Weise a cometer a chacina ainda são desconhecidos. Mas sabe-se que ele enfrentava graves problemas. Seu pai se suicidou quatro anos atrás e a mãe sofreu sérios danos cerebrais num acidente de automóvel e está internada num asilo. Segundo testemunhas, Jeff vivia isolado, sem amigos na pobre reserva indígena. Freqüentava sites nazistas na internet e definia-se como nacionalista. Usava sempre uma jaqueta preta e apreciava a música do roqueiro Marilyn Manson.

Há poucos dias e disse a alguns colegas. “Estão me acusando de ser uma ameaça para a escola, porque sou nacionalista. Dizem que ela será atacada no dia 20 de abril, aniversário de Hitler. Adivinhe em quem cairá a culpa?”

Pobreza
Para o chefe indígena Floyd Jourdain, esta é “a história mais obscura dos chippewas”. A reserva fica perto da fronteira com o Canadá. É apontada como a mais carente e sem perspectivas do Minnesota. Mais de 40% de seus 5 mil habitantes estão desempregados. “Não há nenhuma dúvida, a causa desse ato de violência é a pobreza”, disse o médico Darrell Seki, diretor do hospital de Bemidji, que socorreu as vítimas.

Veja o histórico de ataques em escolas nos EUA

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
196