DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Escolas britânicas vão parar de vender junk food

Os alimentos ricos em gordura, sal ou açúcar vão ser banidos das refeições e das máquinas de refrigerantes e salgadinhos das escolas inglesas.
A proibição, que entra em vigor a partir de setembro do ano que vem, foi anunciada nesta quarta-feira pela ministra da Educação, Ruth Kelly, durante a Conferência Anual do Partido Trabalhista.

As máquinas não poderão mais vender chocolates, salgadinhos ou refrigerantes, disse Kelly.

Na semana que vem, o painel que planeja as mudanças nos cardápios escolares vai divulgar os parâmetros nutricionais para os ingredientes permitidos nas refeições escolares.

Escândalo

“Tenho claro para mim que o escândalo da junk food servida diariamente nas escolas tem que acabar”, disse a ministra.

“Portanto, hoje anuncio que vamos banir as salsichas e hambúrgueres processados e de baixa qualidade das cantinas a partir de setembro do ano que vem.”

O painel que analisa as refeições escolares foi criado depois de uma série de TV do chef britânico Jamie Oliver voltada para a alimentação das crianças nas escolas.

A série acabou virando uma campanha pela mudança nos cardápios e, em resposta, o governo prometeu aumentar o orçamento das refeições nas escolas para 50 centavos de libra (cerca de R$ 2,00) por aluno, por dia, e 60 centavos (cerca de R$ 2,40) para os alunos dos ensino secundário – e criou um painel para determinar parâmetros nutricionais mínimos.

As mudanças começam a ser introduzidas já este mês, e serão mandatórias a partir de setembro do ano que vem.

A ministra disse que é “senso comum” que alguns tipos de alimentos sejam excluídos dos cardápios.

“Por exemplo, os produtos de carne feitos de carne reconstituída que não tem qualquer semelhança com o produto original.”

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152