DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Escassez de água & pesadas multas – Comunidade deve ficar alerta

Um dos muitos efeitos do aquecimento global no hemisfério norte do nosso planeta é, ao mesmo tempo, placas de calota polar que derretem e lentamente aumentam o nível do oceano ameaçando a costa continenta. Outro é seca dos mananciais de água para abastecimento humano e industrial.
Curiosamente, apesar de conhecido como o “estado dos três mil lagos” a Flórida pode vir a ser uma das regiões mais afetadas por esse fenômeno que rapidamente se torna uma das preocupações mais urgentes dos líderes mundiais.
Neste exato momento as autoridades do estado da Flórida estão impondo maiores restrições ao uso da água fornecida gratuitamente para irrigar jardins e áreas públicas.
Os mananciais do lago Okeechobbee e lagos anexos que respondem por 95% de todo o abastecimento da região centro-sul da Flórida estão nos níveis mais baixos da década e nem chegamos perto do que realmente é o verão escaldante, ou seja, de junho a outubro.
A preocupação é tão grande que as multas para quem desobedecer as rstrições podem atingir até 5.000 dólares, em caso de flagrante, reincidência e descumprimento sistemático da ordem.
Todos os residentes do Sul da Flórida têm recebido dos departamentos de recursos hídricos dos conmdados de Miami-Dade, Broward e Palm Beach, avisos sobre as restrições e também citando as pesadas multas que incidirão sobrem quem descumprir essas determinações.
Como essas cartas são exclusivamente em inglês ( somente em Miami-Dade existe uma versão em espanhol ) os brasileiros que em grande maioria não falam ou lêem inglês, descartam o documento sem tomar conhecimento de seu conteúdo.
Já há casos registrados de brasileiros multados em até 1.500 dólares por estarem irrigando seus jardins fora dos dias autorizados. E a desculpa de que “não sabia”, como todos já temos conhecimento, não funciona. A ninguém é dado o direito de conhecer as leis.
Isso me faz lembrar a falta que faz nas TVs brasileiras disponíveis para a nossa comunidade, de informativos e noticiários sobre assuntos que afetem a nossa vida aqui.
É complicado assistir os telejornais das TVs que reportam os assuntos do Brasil e do mundo, e nada, absolutamente nada do que ocorre em nosso “mundo real” que é aqui nos Estados Unidos.
Esperamos que isso mude, e rapidamente, porque a comunidade que se sente feliz em ter acesso a esses canais e paga para receber essas programações, precisa também ser servida de informações básicas para sua sobrevivência no país onde vive.
Mas voltando ao problema da escassez de água, as perspectivas não são das mais otimistas. Durante anos cientistas vem alertando para os riscos do aquecimento global. Os principais líderes do planeta, com raríssimas e pouco influentes exceções, optaram pela “estratégia do avestruz”, enterrando a cabeça no chão para simplesmente “não encarar” um fato crucial na vida das populações.
E por mais curioso que isso pareça, são os Estados Unidos, o país mais rico, mais importante e poderoso do mundo, quem sempre deu os piores exemplos em dois aspectros fundamentais dessa crise: recusando-se a encarara de frente a verdade inquestionável do “Global Warmimg” e seguindo sendo um exagerado exemplo de desperdício de tudo, da gasolina à àgua.
Somente em anos recentes surgiu uma importante liderança política norte-americana, o ex-presidente Al Gore, caoaz de “botar o dedo na ferida” e alertar os norte-americanos sobre o que de fato está acontecendo. Até então, fenômenos como nevasacas fora de época, seca tórrida em regiões onde nunca houvera sêca, furacões e tornados em lugares então imunes, vinham sendo “vendidos” pela mídia como “curiosidades ocasionais” ou “exceções que confirmavam a regra” de um clima quasze sempre estável e cíclico.
Nin guém de sã consciência acredita mais nisso.
Quem se informa sabe que estamos vivendo um período crítico de mudanças climáticas e que o clima é fator crucial na vida de todos os seres vivos. Ignorar isso é um ato de pura ignorância ou alienação.
Portanto, seja para evitar uma multa das mais desagradáveis ou porque você realmente se preocupa com a crise climática, trate de seguir as orientações sobre a conservação de água. Faça sua parte em todos os níveis. Onde puder usar metade da água que vem usando, faça-o já. O benefício é de todos. Seu, sua família e amigos, sua comunidade, o planeta.
É preciso abrir os olhos e entender que o Planeta Terra é a “casa” onde todos vivemos. Depende de cada um de nós manter essa “casa” saudável e viável, provendo para todos os que nela habitam.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
156