DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Depoimento de Vedoin é remarcado para esta quinta-feira.

O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), informou nesta quarta-feira (2) que o depoimento do empresário Luiz Antônio Trevisan Vedoin, um dos donos da Planam, foi remarcado para esta quinta-feira (3), às 9h, na Superintendência Regional da Polícia Federal, em Brasília. Caso se recuse a vir, Vedoin poderá ter sua prisão decretada pela Justiça de Cuiabá, segundo explicou o presidente da CPI. O empresário usufrui do benefício da liberdade provisória, segundo explicações de Biscaia.

De acordo com o presidente da CPI, todos os procedimentos legais, incluindo a autorização judicial, foram tomados para que Vedoin viesse a Brasília nesta quarta-feira, para prestar depoimento, como havia sido anunciado pela direção da CPI. O empresário não compareceu, segundo informou o deputado, sob a justificativa, apresentada por sua advogada, de que estaria se sentindo amedrontado por ter de vir a Brasília.

– Se essa fosse a razão, nós iríamos amanhã para Cuiabá. Essa alternativa foi apresentada. Estávamos preparando diligências nesse sentido, quando falei com o juiz Schneider (Jeffersson Schneider, juiz da 2ª Vara Federal de Mato Grosso) e ele disse que Vedoin poderia depor em Brasília. E que se fosse expedido um ofício da CPI para ele depor aqui e ele não concordasse, ele (juiz) poderia até decretar a prisão novamente de Vedoin. Diante disso, o ofício foi expedido e o depoimento foi confirmado para amanhã no mesmo local e no mesmo horário – informou Biscaia.

O deputado informou ainda que Vedoin teria solicitado à Justiça não ter contato com o público. O depoimento deverá acontecer de 9h às 16h e, em seguida, Vedoin retornará a Cuiabá em vôo marcado para as 17h00.

Biscaia reforçou que o relatório da comissão deverá estar pronto na próxima quinta-feira (10) e que deverá tratar especificamente do envolvimento de parlamentares no esquema de compra de ambulâncias a preços superfaturados, com recursos de emendas do Orçamento.

– A CPMI foi instalada para apurar fundamentalmente o envolvimento de parlamentares na máfia dos sanguessugas. Isso está sendo cumprido com todo empenho, com toda a segurança e profundidade. Os desdobramentos também serão investigados no momento próprio – afirmou ele.

Agência Senado

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
223