DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Coyotes cobram mais para realizarem as travessias.

São Luis Rio Colorado,México – É possível sobreviver no povoado de São Luis, oferecendo viagens “seguras” para os EUA a grupos de imigrantes que desafiam o calor sufocante do deserto. No entanto, hoje, nenhum negócio foi feito. Ninguém podia pagar os US$ 3.000 para ser escondido em um automóvel que cruzaria a fronteira, um valor que há uma semana atrás custava US$ 2.000.

O grande aumento dos custos dos contrabandistas se deve a chegada dos soldados da Guarda Nacional na fronteira, e ainda mais aos planos dos norte-americanos para aumentar a segurança no local.

O aumento dos custos vem convencendo alguns dos imigrantes a cancelarem seus planos de realizar a travessia para os EUA, enquanto que outros têm decidido fazê-la por conta própria.

As autoridades mexicanas e norte-americanas registraram uma queda na migração, apesar de não se saber se isso será duradouro.

Os especialistas argumentam que a diminuição poderia ser temporária, até que os contrabandistas achem novas rotas. Rotas que seriam por áreas mais perigosas o que ocasiona um custo maior para os ilegais que queiram fazer a travessia.

“Com toda a vigilância é obvio que o fluxo migratório tenderá a se mover, e os coyotes estão usando este argumento para aumentar os preços”, disse Francisco García, voluntário em um albergue para emigrantes em Altar, um povoado agrícola de 7000 habitantes que se tornou um importante ponto de reunião para os que se dirigem ao Arizona.

Constante aumento

As cotas dos coyotes aumentaram em 1994, depois que os EUA enviaram mais agentes aos pontos de maior fluxo de migração, que ficam ao longo das fronteiras do Texas e Califórnia. As medidas obrigaram os imigrantes a se dirigirem ao hostil deserto do Arizona. Isso vem sendo feito com que a ajuda dos coyotes, que nesses últimos anos, deixaram de ser uma rede que operava de forma oculta para se tornar em uma florescente industria ilegal.

Durante os últimos 12 anos, o preço para ajudar aos ilegais a fazer a travessia pelo norte através do deserto aumentou seis vezes, passando de US$ 300, em 1994, para US$ 1.800.

Segundo ativistas que lutam pelos direitos dos imigrantes, atualmente, os contrabandistas cobram cerca de US$ 4.000, o dobro da tarifa normal, para guiar os que cruzam ilegalmente através do deserto do Arizona.

As mortes dos indocumentados também têm aumentado. Mais de 1900 morreram cruzando a fronteira desde outubro de 1998, quando a Patrulha da Fronteira começou a registrá-las. Alguns acreditam que as mortes aumentam a medida que cresce o desespero dos imigrantes, que tentam cruzar os solos através de territórios desconhecidos e pagam para contrabandistas para que os ajudem nas rotas mais perigosas.

A fiscalização aumentará

As forças de segurança vão aumentar. Washington enviará 6000 soldados da Guarda Nacional Federal para a fronteira entre o México e os EUA nas próximas semanas, e planeja expandir a Patrulha da Fronteira de um pouco mais de 11.000 para 18.000 agentes, até 2008. Também há projetos de lei que visão a construção de 1.125 km de barreiras na fronteira.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
222