DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Copom v?

Mesmo com inflação nos EUA e o temor de que o Fed (Federal Reserve, o BC norte-americano) abandone a pol?ica de aumentos graduais nos juros, o Copom (Comit?de Pol?ica Monet?ia do Banco Central) acredita ser baixa a probabilidade de que haja a deterioração significativa nos mercados financeiros internacionais.

“No ?bito dos mercados financeiros internacionais, a volatilidade permaneceu relativamente elevada, mas n? houve alteração significativa em relação ao cen?ios considerado por ocasi? da reuni? de setembro do Copom”, diz a ata da reuni? divulgada hoje.

Esse clima de incerteza fez com que em outubro o risco-pa? brasileiro sofresse uma elevação, ap? ter chegado no final de setembro ao mesmo n?el de 1997.

“De fato, os efeitos desses desenvolvimentos favor?eis foram contrabalan?dos por preocupações acerca da evolução da inflação nos Estados Unidos, principalmente em função dos aumentos dos pre?s dos combust?eis.”

No m? passado, os pre?s ao consumidor nos EUA subiram 1,2% e, no atacado, 1,9%. Em ambos os casos, o maior respons?el pela alta de pre?s foi o setor de energia

Teme-se que o Fomc (o comit?de pol?ica monet?ia do Fed) abandone a pol?ica de aumentos graduais e promova uma alta abrupta na taxa, por conta do avan? da inflação. Na pr?ima semana, o comit?ir?anunciar a taxa de juros, que est?em 3,75% ao ano. No entanto, o Copom espera que o Fed continue a promover uma elevação gradual.

‘Apesar desse quadro, no qual h?incertezas relevantes e aumento na volatilidade de curto prazo, o Copom permanece atribuindo baixa probabilidade a um cen?io de deterioração significativa nos mercados financeiros internacionais’, diz a ata.

Al? disso, o Copom lembra que houve um arrefecimento dos pre?s de petr?eo em setembro. O barril do produto tem-se mantido acima dos US$ 60. Para o comit? ?um risco que esse pre?s e o dos combust?eis se mantenham elevados por um tempo mais longo.

“Embora tenha havido recuo consider?el em relação aos valores m?imos, os pre?s continuam em n?eis elevados e, conforme destacado nas notas das ?timas reuni?s do Copom, teme-se que se sustentem por mais tempo em um n?el acima do que vinha sendo prognosticado.”

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153