DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Como está a vida financeira do casal?

Este sempre é um assunto delicado. Lembro-me de que há muitos anos, quando eu tinha uma empresa de decoração de eventos, umas das coisas que eu mais ouvia de meus clientes era: “Olha, vou adicionar isso, isso e isso, mas não comente nada com meu esposo”.

Tenho amigas que compram coisas e escondem no porta-malas do carro ou na garagem até poderem entrar em casa sem o marido ver. Já vi colegas de trabalho combinando “fishing trips” e pedindo ao amigo para não comentar o valor total com a esposa.

Por que será que temos a tendência de esconder de nossos parceiros (aqueles que são os companheiros que escolhemos para dividir o resto de nossas vidas) os pequenos deslizes financeiros que fazemos no dia a dia?

Você sabia que um dos principais motivos de separações de casais hoje é a questão financeira?

Então, a pergunta hoje é: Você e seu parceiro (a) estão na mesma página, financeiramente falando?

Pense bem e responda a esta pergunta com honestidade, pois, caso contrário, você estará sabotando o seu próprio futuro financeiro.

O que é melhor, conta conjunta ou cada um com a sua conta? O casamento exige cumplicidade de ambos, todas as coisas devem estar bem claras no relacionamento a dois e, principalmente, a questão financeira do casal. Muitos optam pela conta em conjunto, eu acho ótimo, contanto que todos estejam na mesma página no que diz respeito aos objetivos financeiros. Outros acham melhor cada um ter a sua conta, e um terceiro grupo prefere ter a conta da casa juntos e cada um ter a sua conta individual. Esta última é a minha preferida, pois creio ser importante manter uma identidade separada do casal. Um acerto desta forma deixa mais tranquilo você poder oferecer uma surpresa ao outro, por exemplo, sem que ele fique sabendo pelo extrato bancário. Mas, como disse antes, não existe certo ou errado neste item, apenas o que for mais conveniente para cada casal.

É de extrema importância que o casal tenha a definição dos objetivos comuns da família e também os objetivos pessoais. Conheço casais que dividem as contas da casa, por exemplo: o marido paga contas como água, luz, telefone, prestação da casa e escola dos filhos. A mulher, o supermercado, as roupas para a família e a faculdade. Já ouvi casos nos quais esta divisão causa problemas e disputas do tipo: “Eu já paguei isto e você não pagou nada”. Já pensou, em uma pizzaria, o marido paga a metade e a mulher a outra metade?

Já atendi casais que nunca tinham conversado abertamente sobre problemas financeiros após anos de casamento. Um deles, foi o caso de um diretor de informática que tinha um bom salário e a esposa não trabalhava fora. Ela sabia que a família passava por algumas dificuldades financeiras, mas o marido nunca havia exposto a realidade para ela. No momento da conversa, fizemos um levantamento do orçamento e das dívidas da família. A esposa ficou supersurpresa, pois nunca imaginou que a dívida e a situação financeira da família estivesse tão ruim, pois era a primeira vez que o marido havia colocado às claras a real situação financeira do lar. Isto não ajuda em nada.

A orientação que passo é que haja comunhão financeira entre o casal. É necessário haver um planejamento antecipado das contas e, especialmente, com definição clara dos objetivos comuns ao casal, como casa, carro, viagens e também objetivos pessoais, como estudo, roupas, ajuda a familiares etc.

Assim como você senta para dizer eu te amo, sente-se pra planejar JUNTOS este futuro de amor e responsabilidade financeira. Acredite: o seu futuro agradece.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Tags:

Claudia Fehribach
Claudia Fehribach
Carioca, formada em Artes pela Universidade do Rio de Janeiro. Conselheira financeira especialista em orçamento, aconselhamento de crédito pessoal e hipotecas reversas. Atua na empresa DebtHelper.com. Envie sua dúvida por email.
420