DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Como está a obesidade no mundo?

Share

Comer e se alimentar, na espécie humana se confunde com momentos de muito sentimento. Há muito tempo que os seres humanos de todo o planeta usam os alimentos e as bebidas para celebrar e brindar os momentos alegres, as vezes momentos tristes, e muitas vezes nos alimentamos quando não estamos bem emocionalmente. De qualquer maneira os alimentos estão presentes na maior parte dos momentos vividos.

A influência comportamental se inicia muito cedo, na amamentação. Assim que um bebê nasce ele é levado ao seio materno e se acalma. Nesse momento, pela primeira vez, está sendo associado à necessidade de se alimentar ao aconchego e alívio da tensão. Isso irá se repetir de inúmeras formas e inúmeras vezes durante a vida de todos nós. Nos primeiros meses, a cada choro, o peito materno será oferecido; mais tarde para acalmar será a chupeta, depois, como recompensa por bom comportamento, um docinho, uma balinha. E, durante anos somos ensinados e ensinamos ao nosso cérebro que vamos nos acalmar se comermos; que vamos nos sentir melhor e mesmo que passageiramente vamos ser mais felizes. Esse comportamento pela busca de alimento para que haja saciedade e satisfação se instala e com variações na intensidade e frequência var acompanhar muita gente.

Como se não bastasse a indução do comportamento pela forma como as crianças são criadas, temos atualmente uma enxurrada de alimentos que viciam muito. Alimentos ricos em açúcar e gordura trazem muito prazer e acabam viciando as pessoas. E foi assim que chegamos aos índices atuais de obesidade e de enfermidades trazidas pelo comportamento alimentar e claro pelo sedentarismo.

Para aqueles que ainda não acreditam que o alimento vicia, já existe um questionário para essa avaliação. Dados recentes publicado pelo The England Journal of Medicine1 são alarmantes. Essa revista científica publicou um artigo que mostra o número de obesos no mundo, dados de 2015. Então, atualmente existem 107.7 milhões crianças and 603.7 milhões de adultos obesos. Em 70 países a população de obesos dobrou desde 1980 e continua crescendo em muitos países. Outro dado assustador é que a população de crianças obesas está aumentando mais rapidamente que a população de adultos obesos. Todas essas pessoas podem morrer mais cedo e terão até uma péssima qualidade de vida.

As medidas governamentais são comprovadamente ineficientes e da mesma forma as famílias parecem não entenderem a real situação da saúde de seus entes próximos. Infelizmente as palavras proferidas pelas pessoas escapam para o politicamente correto e se desviam da realidade.
Olhar para a realidade e entender o problema no seu tamanho real e no seu risco real é a única forma de controlar essa epidemia mundial. A base está no comportamento. Atividades físicas minimizadas e alimentação errada. Enquanto as pessoas não mudarem seus hábitos e não fizerem um esforço para isso, vamos continuar a ter números assustadores de pessoas obesas.

1 Health Effects of Overweight and Obesity in 195 Countries over 25 Years The GBD 2015 Obesity Collaborators N Engl J Med 2017; 377:13-27July 6, 2017DOI: 10.1056/NEJMoa1614362

Baixe nosso app:

Comments

comments

Share
Ivani Manzo
Ivani Manzo
Dra. Ivani Manzo é doutora em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP – EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Em 2010 iniciou seus estudos em Life Coach e desde então trabalha ajudando as pessoas a alcançarem seus objetivos.
487