Dores nos Ombros

A dor no ombro é uma queixa comum que eu vejo na minha prática clínica.


Existem muitas causas de dor na região do ombro. O ombro é a articulação mais móvel do corpo humano. A maioria das causas não são devidas a articulação do ombro em si, mas devido às estruturas em torno dele. Ela pode ser originada na própria articulação, ou de qualquer um dos muitos músculos, ligamentos ou tendões que o rodeiam, e geralmente piora com atividades ou movimentos envolvendo a extremidade superior. Certas doenças e condições que afetam estruturas no peito ou no abdômen, como a doença cardíaca ou doença da vesícula biliar, também podem causar dores no ombro; mas fogem ao objetivo deste artigo.

A dores no ombro que surgem a partir de alguma outra estrutura é chamada de “dor referida”. A dor referida para o ombro geralmente não piora nem melhora com movimento, tendo uma característica mais constante.

Causas

Existem várias causas para as dores nos ombros, e certos diagnósticos são mais comumente encontrados em faixas etárias específicas. A Capsulite Adesiva por exemplo, é uma condição na qual a flexibilidade na cápsula da articulação do ombro torna-se limitada. Isso leva a uma incapacidade de mover o ombro em várias direções. Esta condição é também conhecida como “ombro congelado”. As tarefas simples como pentear os cabelos e se vestir tornam-se difíceis; e esse diagnóstico é comum em pessoas de meia idade e aqueles portadores de diabetes.

O músculo bíceps tem dois tendões de origem; um é chamado de cabeça longa e outro de cabeça curta (nomes engraçados, mas muito práticos). O cabeça longa passa por uma longa e estreitado no osso do úmero chamada de sulco bicipital. Às vezes, o tendão fica irritado e inflamado ao passar por esta estrutura, levando a uma condição chamada de tendinite bicipital.

Outro diagnóstico causador de dores nos ombros é a bursite, uma condição bem dolorosa que afeta umas almofadas pequenas cheias de líquido ? chamadas bursas – que agem como proteção entre os ossos, tendões e os músculos perto das articulações. A bursite ocorre quando a bursa fica inflamada e quase sempre afeta aqueles que se ocupam de atividades que requerem movimentos repetitivos por períodos extensos.

O “manguito rotador” pode desenvolver tendinite por excesso de uso. Lesões por sobrecarga crônica levam semanas ou meses para apresentarem sintomas. Quando um músculo ou tendão é forçado além do seu limite, ocorrem lesões microscópicas. Isso desencadeia um processo inflamatório, que faz parte do processo de cicatrização. Quando ao músculo ou ao tendão não é dada a chance de cicatrizar antes que seja submetido a uma mesma atividade, a inflamação se torna crônica. A inflamação crônica causa danos progressivos para os tecidos, e ao longo do tempo os tendões se tornam menos elásticos e mais susceptíveis à ruptura. A inflamação dos tendões também podem resultar em uma síndrome conhecida como “síndrome do impacto subacromial”. Atividades que podem resultar em prejuízo para o manguito rotador incluem atividades que envolvem o levantamento repetido dos braços acima do nível dos ombros (como natação, tênis, pintura de casas). Combinando força com atividades acima do nível dos ombros, por exemplo, ao empilhar objetos pesados em prateleiras altas, aumenta o risco de lesões.

Duas das principais fontes de dor no ombro são osteoartrite e artrite reumatoide. Em termos mais simples, a osteoartrite é o desgaste da cartilagem presente nas articulações,
frequentemente associados ao envelhecimento e uso excessivo. A artrite reumatoide é uma doença auto-imune que provoca a inflamação crônica das articulações e também pode causar a inflamação do tecido em torno das articulações, podendo desgastar a cartilagem e até osso.

Sinais da doença podem ocorrer no início da vida, mas a dor e perda de movimento normalmente não ocorrem até a meia-idade ou mais tarde. Existem ainda vários outros diagnósticos que podem levar a dores nos ombros. Futuras publicações discutirão cada diagnóstico separadamente.

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente é feito com base na idade e sexo, intensidade e localização da dor, história clínica, e exame físico. O estudo radiológico, incluindo raios-X ou um MRI (ressonância magnética) pode ser útil em alguns casos.

Tratamento e Prevenção

O objetivo do tratamento é aliviar a dor e ajudar a restaurar a função normal do ombro. Estratégias de alívio da dor incluem descanso ativo (você pode e deve mover seu ombro, mas você não deve fazer atividades vigorosas como levantar objetos pesados ou jogar tênis). Aplicação de gelo, o uso de anti-inflamatórios não esteróides com supervisão médica, e em certos casos até uma injeção de esteroides anti-inflamatórios também pode ajudar. Nos casos mais graves seu médico ortopedista pode até optar por uma intervenção cirúrgica.

Nos casos onde o tratamento conservador é indicado, a prática de exercícios prescritos por seu fisioterapeuta, baseados no diagnóstico e características específicas de cada pessoa, pode ser administrado sozinho ou em combinação com a medicação prescrita pelo seu médico. O primeiro passo da fisioterapia involve simples exercícios de amplitude de movimento, e o controle da inflamação e edema para evitar o agravamento da lesão. Estes exercícios de amplitude de movimento, são seguidos de
exercícios de resistência utilizando movimentos e equipamentos específicos e observando as precauções para cada diagnóstico. O último passo é o treinamento de resistência incluíndo a preparação para o tipo de atividade para a qual a pessoa deve retornar.

A dor no ombro não pode ser evitada em todos os casos. Para ajudar a diminuir problemas, evite o uso excessivo dos ombros, incluíndo atividades que requerem o levantamento frequente dos braços acima do nível dos ombros; e muito cuidado ao participar de atividades que colocam pressão sobre estas articulações (por exemplo, os movimentos repetitivos sobrecarga). Uma mecânica corporal correta e boa postura, e o aquecimento dos músculos antes de se exercitar também podem ajudar. Pergunte ao seu médico e consulte seu fisioterapeuta antes de começar qualquer programa de exercícios, para evitar lesões causadas por exercícios
executados de maneira equivocada.

Marcia C. P. Medina, PT, DPT, COMT – Doctor of Physical Therapy Certified Orthopedic Manual Therapist – Phone: (954) 394-4113

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>