DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

China ameaça EUA com guerra comercial

Importação de têxteis chineses aumentou muito após fim do sistema de cotas
A China está ameaçando os Estados Unidos com uma guerra comercial por causa da decisão do governo americano de voltar a impor cotas aos têxteis chineses.
“Isso é sem dúvida nenhuma um precedente extremamente ruim e vai prejudicar gravemente o sistema multilateral de comércio. O governo chinês se reserva o direito de adotar medidas conseqüentes dentro do estabelecido pela OMC”, afirmou Chong Quan, porta-voz do Ministério do Comércio da China.

Os Estados Unidos anunciaram que vão impor novamente cotas em três categorias de têxteis importados da China, alegando que milhares de empregos americanos correm o risco de desaparecer.

A iniciativa se segue a um grande aumento na importação de roupas pelos Estados Unidos desde a abolição das cotas, no começo deste ano.

As roupas incluem calças, blusas e roupa íntima, todas feitos de algodão.

No mês passado, os Estados Unidos e a União Européia começaram a investigar os níveis de importação de produtos chineses por acreditar que sua própria indústria têxtil está sendo prejudicada.

De acordo com as normas da Organização Mundial do Comércio (OMC), os países têm o direito de tomar medidas se ficar estabelecido que o mercado está sofrendo “perturbações”.

O secretário do Comércio dos Estados Unidos, Carlos Gutierrez, afirmou que uma investigação governamental verificou essas “perturbações” no mercado interno de têxteis.

Mas a China diz que a decisão americana desrespeita as regras da OMC.

Os Estados Unidos já pediram à China que reduza suas exportações de têxteis. O Comissário da União Européia para o Comércio, Peter Mandelson, disse na quinta-feira que a China deveria “agir ou enfrentar um processo judicial”.

Fabricantes

A decisão americana foi tomada por uma comissão para a implementação de acordos no setor de têxteis (Cita, na sigla em inglês).

Com isso, o total de encomendas em três categorias só poderão aumentar até 7,5% em relação às encomendas dos últimos 12 meses.

A iniciativa veio em parte em resposta a queixas dos fabricantes de têxteis dos Estados Unidos sobre o aumento das importações desde o fim das cotas, no dia 1º de janeiro.

Os varejistas americanos se opuseram às cotas, alegando que elas provocam um aumento dos preços para os consumidores.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
196