DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Chegou o momento de Bebel Gilberto

Bebel Gilberto lança seu terceiro trabalho, “Momento”, e mostra muita variedade de música brasileira, as canções misturam sua conhecida bossa nova com toques eletrônicos, junto com ritmos do Nordeste, MPB, samba e dance.

“Bring Back the Love” , primeiro single do CD, tem um aspecto psicodélico, certamente por causa da participação do grupo Brazilian Girls, amigos de Bebel de New York. Aliás, na cidade onde mora a cantora recebeu uma homenagem com “Novos Iorquinos”.

Destaque também para “Caçada”, composta e gravada pelo seu tio Chico Buarque nos anos 70, mostra a bela voz de Bebel por cima de um ritmo de forró. Orquestra Imperial dá seu toque irreverente e latino na música “Tranquilo”. Gravado no Brasil, EUA e Europa com com co-produção da própria cantora, Momento mostra a maturidade e evolução de uma das grandes cantoras brasileiras.

Filha de João Gilberto e Miúcha, Bebel nasceu em Nova York, onde seus pais moravam. Começou a cantar cedo, participando de coros infantís em discos e musicais como “Saltimbancos” e “Pirlimpimpim”. Depois de algumas tentativas de carreira solo no Brasil durante a década de 80, quando compôs ao lado de Cazuza, Dé e outros nomes do pop/rock nacional e chegou a lançar um EP pela Warner (com “Mais Feliz”, “Eu Preciso Dizer que Te Amo” e outras), mudou-se para Nova York em 1991. Revezando-se entre os Estados Unidos e a Inglaterra, trabalhou com David Byrne, Arto Lindsay e DJ Towa Tei (do grupo Deee-Lite), sempre procurando fundir sua bossa nova natal a novos processos e concepções musicais. Seu primeiro disco solo, “Tanto Tempo”, foi lançado em 2000 pelo selo Ziriguiboom, da gravadora belga Crammed, e despontou nas paradas de sucesso internacionais da categoria World Music. “Tanto Tempo”, produzido pelo iugoslavo radicado no Brasil, Suba — que morreu pouco antes do lançamento do disco — traz regravações de clássicos bossanovísticos como “Samba da Bênção” (Baden Powell/ Vinicius de Moraes) e músicas de Chico Buarque (“Samba e Amor”), além de uma versão produzida por João Donato de “Bananeira” (Donato/ Gilberto Gil) e composições inéditas. O maior sucesso mundial do CD foi sua versão de “Samba de Verão” de Marcos Valle.

Em 2001, Bebel lança “Tanto Tempo Remixes”, uma compilação de remixes, ou reinterpretações, das músicas de “Tanto Tempo”. Dentre os artistas que remixaram Bebel está o brasileiro Kassin e Berna Ceppas. Assim Bebel conquista as pistas de dança do mundo inteiro.

Produzido por Marius de Vries (Madonna, Björk, Annie Lennox), o seguinte projeto de 2004 se chama simplesmente Bebel Gilberto. “Eu decidi colocar o meu nome no CD porque eu realmente mergulhei nesse projeto como compositora e cantora” diz a Bebel. Um projeto bem internacional com músicas gravadas em Nova Iorque, Londres, (com uma orchestra de cordas!), Salvador e Rio de Janeiro, Bebel Gilberto mostra a verdadeira identidade dessa cantora sempre curiosa, sempre experimental, e sempre brasileira.

Com sua beleza, charme e voz sedutora, Bebel Gilberto é uma das maiores estrelas brasileiras com carreira internacional.

Gene de Souza do Gazeta Brazilian News conversou com a cantora por telefone para esta entrevista exclusiva.
Gene: Como surgiu a canção “Momento” e porque foi escolhida para encabeçar o novo CD?

Bebel: “Momento” nasceu bem naturalmente quando estava compondo a letra. Eu sabia que tinha que ter esse nome. A música fala sobre a importância de viver agora e não ficar muito ansioso ou preocupado com o futuro. A nostalgia é boa mas não adianta ficar triste com coisas ou pessoas que já se foram. A melhor coisa é aceitar o que já se foi e aproveitar o presente, esse momento agora.

Gene: Você realmente está vivendo um momento maravilhoso com um novo CD e se preparando para os shows na Europa e Estados Unidos. Vejo que o Masa Shimizu continua contigo na guitarra.

Bebel: O Masa está na minha banda há sete anos e ele me ajudou a escrever “Momento”. Também vou estar com o Mauro Reforsco na percussão, Jorge Continentino no saxofone e flauta, e Federico Gonzalez do Uruguay nos teclados.

Gene: Conhecemos o Mauro Refosco pelo seu trabalho com David Byrne e Forró in the Dark. Ouvi na música “Caçada” uma batida muito gostosa de forró.

Bebel: Com certeza. A zabumba não estava nos planos mas foi a idéia do Mauro levar a música para esse lado e ficou muito legal.
Gene: Esta música “Caçada” é um clássico do seu tio Chico Buarque composta nos anos 70. Ele tem um repertório tão belo e vasto. Porque esta música chamou a sua atenção e você decidiu incluir no CD?
Bebel: Eu sempre adorei esta música desde pequena. Fez parte da trilha sonora do filme “Quando o Carnaval Chegar” do Cacá Diegues. Eu sempre adorei a melodia e cantava a música de vez em quando. Nunca tinha prestado muita atenção na letra que é maravilhosa. Estudei a música e gravei para o CD e até agora todo mundo adora. Espero que meu tio goste também!

Gene: Tenho certeza que ele gostou. Muita gente no mundo inteiro adora a sua música. Com o seu primeiro CD Tanto Tempo você atingiu um sucesso sem pre-cedentes para uma cantora brasileira. Seu nome e suas canções são conhecidas no Japão, Europa, Brasil e Estados Unidos. Esse sucesso ajudou outros artistas da nova geração como Bossacucanova, Céu, Maria Rita entre muitos outros.
Bebel: Eu fico feliz e tenho muito orgu-lho disso. Trabalhei muito para atingir esse sucesso. Se as pessoas ficam mais curiosas sobre a música brasileira, melhor ainda.

Gene: Voltando ao CD novo Momento, como foi a gravação de “Bring Back the Love” com o grupo Brazilian Girls deNew York?

Bebel: (risos). Foi muito legal, uma festa realmente. Gravamos no estúdio Electric Lady em New York na 8th Street. O ambiente é muito psicodélico por ser um estúdio de muita história, oonde o Jimi Hendrix gravou seus discos. Nós passamos muito tempo juntos compondo, gravando e também nos divertindo. Depois passei um tempo na casa da Sabina (vocalista do Brazilian Girls) regravando algumas das faixas para “post production”. Enquanto ela estava na cozinha, eu estava na sala descalça e de shortinho tentando me concentrar nas músicas. Foi um ambiente de amigos muito divertido. Nós tomamos muitos riscos, mas no final o resultado ficou ótimo.

Gene: O CD foi gravado em Nova Iorque, Rio de Janeiro e Londres. Como foi esse processo?

Bebel: Pois é, gravar em Londres foi muito diferente de Nova Iorque. O produtor Guy Sigsworth é fantastico. Foi uma experiência muito boa poder trabalhar todo dia com um dos melhores produtores do mundo. Foi um desafio mesmo. Criamos várias canções juntos, inclusive “Close to You” que é uma de minhas favoritas.

Gene: Como vem a sua inspiração? Vôce demora para compor ou é um processo rápido?

Bebel: Às vezes eu pego letras antigas que tenho guardadas e começo a pensar na música. Às vezes a música vem primeiro. O Guy me mostrava alguma coisa no estúdio e eu criava alguma coisa em cima disso. Não tenho um método específico. Eu gosto de estar junto com os músicos e produtores e trabalhar as idéias que surgem. No Brasil foi assim com a Orquestra Imperial. Nós tocamos a música “Tranquilo” juntos e eu queria muito incluir no CD.

Não sei como conseguimos, mas 19 músicos se espremeram nos estúdio e conseguimos gravar ao vivo mesmo. O CD estava quase terminado e o orçamento estava curto então tínhamos que aproveitar aquele momento no estúdio, bem no espírito do projeto.

Federico Aubele
O músico argentino Federico Aubele e seu grupo vão abrir o show de Bebel Gilberto. Federico pertence à gravadora ESL Records de Washington D.C. dirigida pelo grupo genial Thievery Corporation
Serviço

O show em Miami, destaque do JVC Jazz Festival, será no sábado dia 19 de maio no Carnival Center (Knight Concert Hall). Informações pelos telefone (305) 949-6722 ou www.carnivalcenter.org

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153