DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Broward: moradores fogem de furacões e alto custo de vida

De 2005 a 2006, o condado de Broward perdeu 18.459 moradores para outros condados e estados. Os dados são do Bureau de Censo, que constatou em seu mais recente estudo que, pela primeira vez em décadas, há mais pessoas deixando Broward para viver em outras partes da Flórida do que pessoas vindo morar em Broward. Fenômeno semelhante está ocorrendo também em Palm Beach.

Os números mostram, no entanto que, uma vez que 15.227 pessoas mudaram-se para Broward, vindas de outros países, e por causa do aumento de natalidade, o condado ainda apresenta um crescimento populacional de 5.620 pessoas no período.

De acordo com especialistas, a decisão de moradores do condado de mudar para outros lugares tem sido motivada pelo alto custo de vida, aumento dos impostos sobre os imóveis e elevação dos preços dos seguros, além de um mercado de trabalho não tão “amigável” quando em outras regiões.

Com isso, está havendo uma grande mudança de perfil no condado. O seu novo vizinho tem muito mais chances de ser um imigrante recém-chegado nos EUA do que um novaiorquinho que resolveu curtir a aposentadoria na Flórida. Entre 2000 e 2006, os dados do censo mostram que para cada americano que muda para Broward, cinco novos imigrantes chegam ao condado. Este é um fenômeno completamente oposto aos anos 90, quando um imigrante chegava para cada cerca de dois americanos.

Além dos fatores econômicos, especialistas citam também os furacões. A maioria, afirmam agentes de real state tem optado pelos estados do Tennessee, Carolinas e Georgia. “Está tudo sempre lotado. Você vai de restaurante em restaurante e há sempre uma hora de espera. E o trânsito… Pra mim já chega”, diz Diane Prete, 48, que está se mudando de Lake Worth, depois de 26 anos, para uma comunidade na montanha na Geórgia. Quando comprou sua casa em Lake Worth, havia apenas lotes vazios na vizinhança. Hoje, a área foi ocupada por grandes edifícios. Nos últimos cinco anos, seu seguro da casa triplicou.

De longe, o maior grupo a ocupar Broward é de imigrantes. Linda Mortensen, uma corretora de imóveis de Miramar e Pembroke Pines afirma que seis das oito propriedades que vendeu nas últimas semanas foram para investidores que pretendiam vender os imóveis para compradores da Venezuela e de outros países. “É evidente que o sul da Flórida tornou-se um lugar onde uma pessoa de classe média não pode pagar. As pessoas que vivem aqui têm que ter muito dinheiro”, disse.

Mas para os imigrantes recém-chegados, particularmente da América do Sul, as vantagens são a variedade de supermercados étnicos e restaurantes que preparam comidas típicas dos diversos países.

No entanto, o South Florida Regional Planning Council observa que muitos estrangeiros que chegaram a Broward recentemente acharam o custo de vida muito alto, e esco-lheram outros lugares para viver. “Muitos destes imigrantes não vêm para cá porque o mercado de trabalho é bom, vêm porque têm um parente ou amigo aqui, ficam um pouco até ajeitar a vida e vão para outros estados”, afirma Doug Ogburn represen-tante do South Florida Regional Planning Council.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153